Fraude de R$ 200 mi: vereadores são presos suspeitos de favorecer PCC

Operação do MPSP mira esquema de fraude em contratos públicos que beneficiavam empresas ligadas ao PCC; transações somam R$ 200 milhões

105

Três vereadores de diferentes cidades do estado de São Paulo foram presos, nesta terça-feira (16/4), em operação do Ministério Público de São Paulo contra empresas ligadas ao Primeiro Comando da Capital (PCC), em um esquema envolvendo contratos que somam R$ 200 milhões. Outras 11 pessoas foram presas, entre empresários e servidores. Há ainda um mandado de prisão que não foi cumprido.

Os vereadores presos são Flavio Batista de Souza (Podemos, de Ferraz de Vasconcelos), Luiz Carlos Alves Dias (MDB, de Santa Isabel) e Ricardo Queixão (PSD, de Cubatão).