Navio com 16 mil animais é abandonado na costa da Austrália após ameaça de ataque Houthis

Cerca de 14 mil ovelhas e 2 mil bovinos estão à deriva com temperaturas locais próximas dos 40°C; embarcação saiu no início de janeiro rumo a Israel, mas teve que voltar após tensão no Mar Vermelho

61

Um navio que transportava cerca de 14.000 ovelhas e 2.000 bovinos foi abandonado na costa da Austrália sob um calor sufocante na terça-feira (30) após ser forçado a abandonar uma viagem pelo Mar Vermelho, causando protestos de defensores preocupados com o bem-estar dos animais.

O navio deixou a Austrália em 5 de janeiro com destino a Israel, onde deveria descarregar, mas desviou de seu curso devido à ameaça de ataque da milícia Houthi do Iêmen, antes de ser mandado de volta para casa pelo governo australiano.

Os animais estão agora no limbo e poderiam ser descarregados na Austrália, onde as regras de biossegurança exigiriam que ficassem em quarentena, ou enviados de volta ao mar para uma viagem de um mês a Israel, contornando a África, evitando o Mar Vermelho, segundo as autoridades da indústria e o governo.

“Esses animais já passaram 24 dias no mar, potencial estresse térmico, má ventilação, permanecendo em seus próprios dejetos. Eles ficariam extremamente estressados”, disse Rebecca Tapp, da organização Stop Live Exports (Pare Exportações Vivas).

“Gostaríamos de vê-los retirados do navio e processados ​​aqui em WA [Austrália Ocidental]. Deixá-los lá por mais tempo e certamente a ideia de mandá-los de volta ao mar por 33 dias é desumano.”

“Temos perguntado ao governo estadual, ao governo federal qual é o plano. Parece que no momento não existe um plano coerente.”

Grupos agrícolas e exportadores afirmam que os animais a bordo do MV Bahijah estão bem de saúde, mas com temperaturas locais próximas dos 40°C, argumento com o qual os defensores do bem-estar animal discordam.

O encalhe é o mais recente impacto dos ataques a navios no Mar Vermelho, a principal rota marítima entre a Europa e a Ásia, que perturbaram o comércio global. Também sublinha o risco para a indústria de exportação de animais vivos da Austrália, que envia centenas de milhares de animais para o Oriente Médio todos os anos.