Matrículas online da Rede Pública Estadual de Ensino de Rondônia iniciam na segunda-feira, 15

75

O Governo de Rondônia anuncia o período de matrículas online na Rede Pública Estadual de Ensino, priorizando os estudantes com deficiências, que podem se inscrever no período de 15 a 19 de janeiro de 2024. Para os alunos que se encontram fora da Rede (escolas particulares, municipais ou àqueles que não estão estudando), os pais ou responsáveis podem efetivar a matrícula no período de 22 a 26 de janeiro pelo endereço eletrônico https://matriculaonline.seduc.ro.gov.br.

Para o governador do Estado, Marcos Rocha, a inclusão é um princípio fundamental da Educação. Com o intuito de  assegurar que todos tenham oportunidades iguais, as matrículas online vão ser abertas, primeiramente, para estudantes com deficiências. “O Governo tem possibilitado ações e investimentos para a educação inclusiva, e com isso, proporcionando oportunidades a todos os estudantes. A programação de matrículas, visa aprimorar um ambiente educacional inclusivo e adaptado às necessidades específicas de cada aluno”, ressaltou.

EFETIVAÇÃO

O Cadastro de Pessoa Física (CPF) do aluno é um requisito obrigatório para realizar o preenchimento dos dados no site durante o processo de inscrição de vaga. Após a inscrição online, os responsáveis terão um prazo de 24 horas para comparecer à escola escolhida com os documentos necessários para efetivação da matrícula. Essa etapa presencial é relevante para garantir a correta inclusão do aluno na instituição de ensino.

Segundo Ana Pacini, titular da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), a matrícula online é um passo significativo na direção de uma educação mais acessível e igualitária para todos. Nesse sentido, a secretária elucida que, “essa é uma oportunidade para alunos se integrarem à nossa rede de ensino. É importante que, os pais ou responsáveis se programem quanto à organização deste período de matrículas e assim, poderem possibilitar aos seus filhos, um ambiente de aprendizagem, por meio da Educação oferecida pelo Estado”, pontuou.