‘Superlua rosa de Páscoa’ poderá ser vista nesta quinta-feira no Brasil

Fenômeno poderá ser visto assim que a Lua aparecer no céu, mas o satélite atingirá às 4h35 seu momento mais brilhante no céu.

276

Uma lua cheia batizada de “Superlua Rosa” será visível em todo o Brasil na quinta-feira (6), segundo a Nasa, a agência espacial norte-americana.

Nesta fase, a Lua vai aparecer maior e mais brilhante do que o normal durante as três noites em que ficara na fase cheia, já que ela estará próxima ao seu perigeu, o ponto mais próximo da Terra durante sua órbita. No Brasil, isso acontecerá especificamente às 4h35 da madrugada.

O nome “Superlua Rosa” foi dado por povos nativos dos Estados Unidos porque a flor desabrocha nessa época do ano, quando é primavera no Hemisfério Norte. Apesar do nome, a Lua não terá nenhuma mudança de cor.

Comparação da Nasa mostra diferença entre uma lua 'normal' e 'superlua', à direita. — Foto: Reprodução/Nasa

No calendário cristão, esta é a Lua Pascal, a partir da qual se calcula a data da Páscoa. De acordo com a tradição, o feriado cristão da Páscoa é celebrado no primeiro domingo após a primeira lua cheia da primavera.

O termo “superlua” surgiu em 1979 e não é um conceito astronômico propriamente dito. Ele é usado fora do meio acadêmico para fazer referência à união do perigeu (o ponto mais próximo da Terra durante sua órbita) com a Lua cheia. Não é uma situação rara, mas é uma excelente oportunidade para quem quer começar a observar o céu.

 — Foto: Arte g1/Wagner Magalhães

Em 2022 ocorreram três superluas: a de Morango, em junho, a dos Cervos, em julho e a de Esturjão em agosto.

Detalhes importantes:

  • A órbita da Lua ao redor da Terra tem forma elíptica: uma forma oval que, pela sua irregularidade, aproxima e distancia o satélite do nosso planeta;
  • O ponto mais distante dessa elipse é chamado apogeu. É quando acontece a microlua;
  • O ponto mais próximo é o perigeu;
  • Quando a Lua está cheia e em seu perigeu (superlua), ela pode parecer até 14% maior e 30% mais brilhante ao ser vista da Terra do que no momento do apogeu, segundo a Nasa.