Espetáculo “O Homem de Nazaré” será apresentado no teatro Palácio das Artes no final de semana

97

O Governo de Rondônia, por meio da Fundação Cultural do Estado de Rondônia – Funcer realizará nos próximos dias 7, 8 e 9, o espetáculo “O homem de Nazaré”. O evento ocorrerá às 18h, no Teatro Estadual Palácio das Artes. A entrada para o espetáculo será um quilo de alimento não perecível.

O governador do Estado, Marcos Rocha destacou que, “O Homem de Nazaré” é o maior espetáculo apresentado a céu aberto da Amazônia, e terá uma versão para o palco teatral, neste ano, no Palácio das Artes. Salientou também, o compromisso que o governo tem com o incentivo à cultura.

“A educação e a cultura são instrumentos de emancipação humana, social e de construção da cidadania da pessoa. Ainda mais em uma data tão importante e oportuna como esta, para os cristãos, que é a Páscoa. Serão três dias de espetáculo e com toda certeza com a casa cheia”, evidenciou.

De acordo com o presidente da Fundação, Nery Rodrigues, que também é diretor do espetáculo, o teatro tem 1.005 cadeiras e os ingressos estarão disponíveis duas horas antes do início do espetáculo. “Nestes três dias de evento, o cidadão que desejar assistir ao nosso espetáculo, só precisará trocar um quilo de alimento não perecível pelo ingresso. Basta chegar duas horas antes do início do evento, que a bilheteria já estará funcionando. Os alimentos serão distribuídos para as comunidades que já são parceiras da Funcer. Inclusive, também serão destinados aos atores voluntários”, explicou.

Segundo o presidente, o elenco é composto por atores voluntários da própria Funcer e de atores que fazem parte do Grupo Êxodo. “Temos uma parceria firmada com o grupo que tem mais de 40 anos de atuação no Estado. O Êxodo cedeu os acessórios cênicos e a trilha sonora do espetáculo. A Funcer contribuiu com o elenco e a iluminação. Estou atuando na direção desde 2019, em 2023 trouxemos este novo formato, que é a realização da peça num ambiente fechado”, salientou.

Para Nery, um dos pontos positivos da realização da peça é a possibilidade de acesso das comunidades. “Quem não teve a oportunidade de ir até a Jerusalém da Amazônia, onde é realizada a tradicional apresentação, terá nestes três dias, a chance de prestigiar e ao mesmo tempo estará ajudando ao próximo, doando um alimento não perecível”, concluiu o presidente.