Papa condena “LOUCURA da GUERRA” em homilia do Domingo de Ramos

Francisco lamentou o uso da violência ao recordar o martírio de Jesus de Nazaré. ”Quando se usa a violência já não se sabe nada de Deus, que é Pai, nem dos outros, que são irmãos”, advertiu.

102

O mundo católico celebra o Domingo de Ramos. O dia que dá início à semana santa, foi, como manda a tradição, celebrado na Praça de São Pedro, no Vaticano. Na primeira grande homilia após o levantamento das restrições da covid-19, o Papa não fugiu à atualidade.

Numa clara alusão à situação na Ucrânia, o sumo pontífice condenou a “loucura da guerra” e lamentou as mortes e “os refugiados que fogem das bombas”.

Francisco lamentou o uso da violência ao recordar o martírio de Jesus de Nazaré. ”Quando se usa a violência já não se sabe nada de Deus, que é Pai, nem dos outros, que são irmãos”, advertiu.

Filipinos celebram com folhas de coco

Mudam-se as geografias, adaptam-se os costumes. Nas Filipinas, as tradicionais palmas dão as vezes a folhas de coco.

Como diz ser seu hábito, aos 70 anos, Rolando Martizana voltou a participar, este ano, nas celebrações, ao lado da mulher.

“Nunca vamos parar de fazer isto. Mesmo que tenhamos alguns males, ainda nos esforçamos por ir à igreja, para que as bênçãos do Senhor nunca cessem sobre a nossa família”.

Em Jerusalém, as portas do Santo Sepulcro foram abertas a sacerdotes e fiéis.

Apesar de a Terra Santa ainda estar fechada aos peregrinos, a campanha de vacinação contra a covid-19 deu alguma segurança para a reabertura gradual das atividades.