61 viajantes da África do Sul testam positivo para Covid na Holanda

Não há informações se os passageiros foram infectados com a variante ômicron do coronavírus. Alemanha investiga caso suspeito de infecção em viajante da África do Sul.

158

As autoridades de saúde da Holanda disseram que 61 pessoas que chegaram ao país em dois voos vindos da África do Sul, na sexta-feira (26), testaram positivo para a Covid-19.

Não há, até a última atualização desta reportagem, informações sobre qual é a variante do coronavírus encontrada nestes infectados.

Todos os passageiros infectados estão isolados, e vão passar por testes neste sábado (27) para descobrir se a recém-descoberta variante do coronavírus, a ômicron, pode estar circulando entre eles.

Ainda na sexta-feira, viajantes enfrentaram longas horas de espera e testes por conta da nova mutação do vírus, classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como ‘variante de preocupação’.

“Estamos pesquisando se alguns dos casos são da nova variante de preocupação, a ômicron”, disse a autoridade sanitária do país em um comunicado. “Esperamos ter os resultados o mais breve possível.” 

Já na Alemanha, autoridades regionais afirmaram que um caso suspeito da ômicron é avaliado pelos profissionais de saúde.

“Parece muito possível que a variante omicron tenha chegado à Alemanha”, disse Kai Klose, ministro para Assuntos Sociais na região de Hesse, em uma rede social. 

A infecção estaria ligada à uma pessoa que retornou da África do Sul, e foi colocada em isolamento logo após o diagnóstico positivo para a doença..

Voos suspensos na Holanda

O governo holandês proibiu todas as viagens aéreas do sul da África na manhã de sexta-feira. No entanto, dois voos da KLM, com cerca de 600 passageiros, chegaram a desembarcar em Amsterdã.

O ministro da Saúde, Hugo de Jonge, determinou que os passageiros que já estavam a caminho da Holanda fossem submetidos a testes e quarentena na chegada ao país.

Covid: o que se sabe sobre nova variante detectada na África do Sul

Centenas de passageiros, que vinham da Cidade do Cabo e de Joanesburgo, reclamaram nas redes sociais das “horas de espera” na pista.

Uma repórter do jornal americano “The New York Times”, Stephanie Nolen, estava em um dos voos e chegou a narrar o cenário de confusão.

“Muitos aplausos porque chegou um ônibus que vai nos levar… para algum lugar”, escreveu a jornalista. 

Passageiros fazem fila no aeroporto internacional de Amsterdã em 26 de novembro de 2021 em meio a pandemia de Covid-19 — Foto: Reuters

Passageiros fazem fila no aeroporto internacional de Amsterdã em 26 de novembro de 2021 em meio a pandemia de Covid-19 — Foto: Reuters

Nolen, que afirmou ter testado negativo para o vírus, contou que o ônibus chegou em uma área de testes “com uma fila enorme”.

“Posso ver testadores de Covid com roupa azul brilhante bem à frente”, narrou. “Ainda sem lanchinhos para os bebês que estão chorando.”

Um porta-voz das autoridades de saúde em Kennemerland – região responsável pelo aeroporto Schiphol, – disse que os casos positivos são acompanhados pelo hospital universitário.