Professora e filha de 9 anos são agredidas e abusadas durante piquenique em parque no Acre

Vítima diz que foi abordada por dois homens armados e encapuzados dentro do Horto Florestal, na última sexta-feira (6), em Rio Branco.

62

O que era para ser um dia de lazer e diversão acabou se tornando um pesadelo na vida de uma professora de 40 anos de Rio Branco. Durante um piquenique no Horto Florestal, na última sexta-feira (6). Ela diz que dois homens encapuzados agrediram e abusaram dela e da filha, de 9 anos.

Além da filha, a professora, que pediu para não ter o nome divulgado, estava também com o sobrinho de 2 anos e uma amiga da filha, também de 9 anos. A dupla roubou três celulares, a bolsa com as coisas do sobrinho, outra bolsa com os alimentos, a chave do carro e outros objetos.

O crime ocorreu no período da tarde, quando a família caminhava por uma das trilhas. Os criminosos saíram de dentro da mata armados e com o rosto coberto.

“Encostaram duas armas na gente, pediram para baixar a cabeça, nos levaram para dentro da mata e começaram a pegar em nossas partes íntimas, da minha filha também. Bateram em mim, na minha filha, fiquei com o rosto, pescoço e nariz machucados”, relembrou.

Após os criminosos fugirem, a professora chamou a Polícia Militar (PM-AC) no local. Ninguém foi preso. No dia seguinte, no sábado (7), a vítima registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Flagrantes de Rio Branco (Defla).

A professora falou que procurou também a coordenação do parque, mas não conseguiu falar com ninguém até o momento. Segundo ela, o parque não oferece segurança para os frequentadores.

“Fiquei muito chateada, houve negligência por parte do Horto. Por isso, vou comprar essa briga e procurar um advogado e não vou deixar isso assim. Isso é antigo [falta de segurança] e não fazem nada”, criticou.

Ao G1, coordenação do Horto Florestal disse que não tem conhecimento do caso, mas que vai buscar informações para se pronunciar.

Filha não dorme

Ainda segundo a professora, a filha pedia a todo momento para que o criminoso não tocasse nela, mas, mesmo com os pedidos, a mãe conta que o homem pegou nos seios e colocou a mão dentro da roupa da criança.

“Ela chorou e disse: ‘Não, moço’. Ele deu um murro no estômago dela que caiu dentro do mato. Estavam muito agressivos Acredito que estavam drogados. Levei um chute e cai e acho que se assustaram porque gritei e ouvimos o barulho de alguém e eles saíram correndo” falou.

A vítima explicou que, no momento das agressões, não tinha ninguém no parque para ajudar. “Minha filha não está dormindo, chora se me ouvir falar [no dia do crime]. Eu gritava para ele não fazer aquilo e levei um chute que quase apaguei”, lamentou.