Governo do Acre analisa proposta de empresa multinacional que pretende se instalar na ZPE

57

O governo do Estado, por meio da Agência de Negócios do Acre (Anac) e da Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict), com apoio da Assembleia Legislativa (Aleac), analisa a proposta apresentada na manhã deste domingo, 5, em Rio Branco, pela empresa multinacional Aje, do Peru, para futura instalação do grupo na Zona de Processamento e Exportação (ZPE), em Senador Guiomard.

“A ideia é utilizarmos Puerto Maldonado como saída dos produtos do nosso portfólio global e o Acre ser a porta de entrada desse comércio bilateral, com a utilização do corredor interoceânico e, futuramente, a produção na ZPE”, disse Gonzalo Person, diretor da empresa.

Person afirmou que a logística de transporte pelo corredor interoceânico já foi analisada como melhor estratégia por consultores do grupo, que atua em mais de 20 países da América Latina, Ásia e África. Amostras do portfólio da empresa foram apresentadas para a presidente da Anac, Waleska Bezerra; o titular da Seict, Assurbanípal Mesquita; e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Gonzaga. Entre os produtos estão marcas como a Bio, Cielo, Pulp, Free Tea, Cifrut, Sporade, BIG Cola e Volt, em mais de oito categorias.

“O Acre está unido quando o assunto é o comércio exterior e o fortalecimento do corredor interoceânico. Estamos de braços abertos para receber os investimentos que vão ao encontro da política do governador Gladson Cameli, que é de geração de emprego e renda”, disse Waleska Bezerra.

O secretário Assurbanípal Mesquita destacou a visão da empresa na valorização de produtos da floresta. Uma das políticas de produção da empresa é a utilização apenas de palmeiras não cortadas para garantir a sustentabilidade do ecossistema.

“Esse triângulo de sustentabilidade está conectado à política ambiental do Brasil. O Acre já é referência. Produtos com utilização do açaí, por exemplo, que a Aje produz, podem fortalecer a economia familiar. Vamos aprofundar o diálogo, fortalecendo o comércio com as comunidades nativas”, acrescentou Mesquita.

O deputado Luiz Gonzaga disse que o Poder Legislativo atua como colaborador na política de comércio exterior, apoiando estratégias que visem ao desenvolvimento do estado. “O Acre recebe essa proposta de braços abertos. A Aje é uma empresa de experiência de mercado internacional, com proposta muito bem aceita por nossa economia. Vamos ajudar no diálogo junto ao governo, com a esperança de bons negócios para o estado”, assegurou.

Agenda bilateral

O diretor de Indústria da Seict, Albert Azenha, esclareceu a política de incentivos fiscais que o governo do Acre disponibiliza como atrativo para o investimento exterior. “São medidas que beneficiam o exportador, reduzindo-lhe a carga tributária” analisou.

O diretor de Assuntos Aduaneiros da ZPE/AC, Marcos Morais, afirmou que compartilhar experiencias de programas, projetos, planos, estudos e iniciativas de implementação e práticas empresariais e governamentais de economia regenerativa é um dos compromissos priorizados na reunião com o embaixador do grupo de países do mercado emergente (Brics), Walter Heredia Martinez.

“Temos uma ZPE pronta para receber os investimentos do comércio exterior. Vamos continuar dialogando para transformar essa proposta em ação concreta”, assegurou Morais.

Participaram da agenda, ainda, o diretor de Ciência da Seict, Ricardo Damasceno; o membro da Câmara Técnica de Comércio Exterior, Alejandro Salinas; e assessores da Anac e da empresa Aje/Peru.