TJRO amplia parceria com DPU para atendimento no Fórum Digital

76

Uma importante parceria do premiado projeto do Tribunal de Justiça de Rondônia, o Fórum Digital, foi ampliada nesta quinta-feira, dia 11, com a assinatura de um convênio que proporciona a prestação de serviços da Defensoria Pública da União nas unidades de todo o Estado. O Documento foi assinado na unidade de Candeias do Jamari, pela defensora pública-Chefe, Jaqueline Guedes Marinho.

A foto mostra os representantes dos parceiros numa das mesas de audiência do Fórum Digital.

O convênio anterior só contemplava as unidades de Candeias e Extrema, atendimento que agora será estendido para as demais unidades em funcionamento como Mirante da Serra, Itapuã do Oeste, Cujubim e Alto Paraíso e também já deixa firmado acordo para as próximas unidades a serem inauguradas ainda este ano: Monte Negro, Campo Novo de Rondônia e Chupinguaia.

A reafirmação do convênio ocorreu dentro de uma das salas de audiência com a presença da também defensora pública Vanessa Fuchs e do juiz secretário-geral, Rinaldo Forti. As representantes da DPU aproveitaram para visitar as modernas e confortáveis instalações do Fórum Digital de Candeias, que já ultrapassou 500 atendimentos desde a sua inauguração em dezembro de 2023.

Projeto inovador

A foto mostra o juiz e as defensoras da DPU em frente ao Fórum Digital de Candeias.

Os Fóruns Digitais, projeto premiado com o Innovare, estão representados em um espaço físico acolhedor e tecnológico para atender aos vulneráveis digitais e conceder ainda mais credibilidade e legitimidade à prestação desse serviço público. A prática melhora o acesso aos serviços de atermação, conciliação e até audiência e julgamento, sem a necessidade de deslocamento a sedes de Comarca, desonerando o(a) jurisdicionado(a) e o erário.

O Fórum Digital oferece todo o equipamento necessário à população para que possa usufruir dos serviços do Judiciário ou parceiros do sistema da Justiça. “Com auxílio do administrador ou do estagiário, o usuário faz o contato com o fórum e pode ser ouvido pelo servidor ou magistrado”, reforçou Rinaldo Forti.