Brasileiríssima: estudo mostra que casca de jabuticaba reduz glicemia

Em pacientes com obesidade, compostos presentes na casca da jabuticaba são capazes de diminuir a glicemia e a inflamação do organismo

80

A jabuticaba é uma frutinha natural do Brasil cheia de nutrientes e vitaminas. Uma pesquisa feita pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e financiada pela Fapesp descobriu que a casca da fruta pode ajudar no tratamento de obesidade e síndrome metabólica.

Apesar de ser geralmente descartada pelo sabor adstringente, a casca da jabuticaba tem compostos fenólicos e fibras capazes de modular o metabolismo da glicose. Os 49 participantes comeram pelo menos 15 gramas da casca ao longo de cinco semanas, e os resultados mostraram uma melhora nos níveis de inflamação e de glicose no sangue.

“Neste trabalho, avaliamos o consumo prolongado e descobrimos que esse efeito na glicose se dá inclusive no período posterior à refeição, ou seja, na glicemia pós-prandial”, afirma o professor da Unicamp e coordenador da investigação, Mário Roberto Maróstica Junior, em entrevista à Agência Fapesp.

Ele explica que a glicemia aumenta depois das refeições, e volta ao nível normal algum tempo depois. Qualquer opção que evite o pico é interessante.

“O estudo apontou resultados positivos em relação à diminuição da glicemia pós-prandial e níveis de inflamação no grupo que recebeu o suplemento. Mas vale ressaltar que a casca da jabuticaba não faz milagre, ela é apenas uma excelente maneira de auxiliar a modulação da glicemia. Isso quer dizer que a estratégia precisa vir acompanhada de outras medidas, como boa alimentação e exercício físico”, explica o pesquisador.

Como o gosto da casca de jabuticaba não é muito agradável, a sugestão dos pesquisadores é optar por extratos e suplementos disponíveis no mercado.

A casca de jabuticaba

A casca de jabuticaba é rica em antocianinas, um tipo de composto fenólico que confere a cor arroxeada à fruta e interfere no metabolismo de glicose. Quando elas chegam no intestino, entram em contato com a células L, que liberam o GLP-1, peptídeo que estimula a liberação de insulina. É um mecanismo semelhante ao imitado pelo Ozempic e outros medicamentos modernos para tratamento de diabetes e obesidade.

“A casca da jabuticaba atua também reduzindo a interleucina -6, que tem papel-chave no desenvolvimento de resistência insulínica e contribui para a inflamação do tecido adiposo. Ela tem, portanto, um efeito positivo não só na glicose pré-prandial, mas também reduz os níveis de inflamação, o que a torna uma aliada para os casos de síndrome metabólica”, conta Maróstica Junior.