IPCA: em 12 meses, preço da picanha cai, mas o da cerveja sobe

Em geral, o valor das carnes diminuiu no país no acumulado de um ano. As bebidas apresentaram comportamento oposto, registrando alta

94

O preço da dobradinha cerveja com picanha apresentou um comportamento desigual no acumulado dos últimos 12 meses. Isso segundo dados de fevereiro do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial no Brasil, divulgados nesta terça-feira (12/3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No período de um ano, o preço da picanha apresentou queda de 8,21%. No mês passado, a redução foi de 0,20% e, em 2024, de 0,80%. Já a cerveja aumentou. Ela teve alta de 3,74%, em 12 meses, e de 0,25% neste ano. Em fevereiro, contudo, registrou queda, ainda que minúscula, de 0,02%.

A queda da picanha ocorreu dentro de um contexto em que o preço das carnes, de forma geral, apresentou redução de 8,28% nos últimos 12 meses. As maiores baixas foram puxadas por partes como o fígado (-20,11%) e o músculo (-10,19%). Mas os valores do filé mignon também encolheram 8,48 nesse período.

O comportamento dos preços das bebidas, em geral, foi o oposto. Elas registraram alta de 2,44% em 12 meses. Entre as elevações, os destaques ficaram com sucos de fruta (+5,78%), refrigerantes e água mineral (+5,72%), além de grandes saltos como do açaí (emulsão, +19,89%) e outras bebidas alcoólicas (+14,26%).

Passagens aéreas

Em fevereiro, chamou a atenção a queda dos valores das passagens aéreas, captadas pelo IBGE. No mês passado, elas sofreram redução de 10,71% e, neste ano, de 24,29%. No acumulado de 12 meses, entretanto, ainda registraram aumento de 23,64%.