Mulher finge estar grávida 17 vezes para ganhar benefícios do governo

A italiana, de 50 anos, foi agora condenada a quase dois anos de prisão devido ao esquema. Segundo contou, a última gravidez teria acontecido em dezembro passado

66

Uma mulher italiana foi sentenciada a um ano e seis meses de prisão após simular 17 gravidezes. Ao longo de 24 anos, Barbara Ioele, de 50 anos, alegou ter tido cinco filhos e enfrentado 12 abortos, arrecadando 110 mil euros (cerca de 475 mil reais) em benefícios maternos.

As autoridades descobriram que nenhuma das crianças estava registrada, e sua última alegada gravidez, ocorrida em dezembro, era uma farsa. O esquema, desmascarado após vigilância de nove meses, envolvia o uso de almofadas e estava vinculado a certificados de nascimento roubados de uma clínica em Roma.

O companheiro dela, Davide Pizzinato, testemunhou contra ela para reduzir sua própria pena.