Olhar Espacial relembra astronauta que flutuou livre sobre a Terra há 40 anos

No dia 7 de fevereiro de 1984, um astronauta entrou para a história como o primeiro ser humano a flutuar sem amarras no espaço; saiba mais

54

Caminhada espacial é um termo popularmente usado para descrever as atividades extraveiculares (ou EVA, na sigla em inglês), ou seja, quando os astronautas realizam operações fora das naves, cápsulas ou estações. As manutenções que foram feitas no Telescópio Espacial Hubble e os frequentes serviços executados na parte externa das estações espaciais internacional (ISS) e Tiangong, da China, são alguns exemplos. 

Também utilizado para se referir a caminhadas na superfície de outros astros, o termo faz até parecer que é algo simples como um passeio no parque. No entanto, trata-se de uma atividade extremamente complicada e arriscada. 

Entre todas as caminhadas espaciais já realizadas na história da exploração espacial, sem sombra de dúvidas, as mais espetaculares foram aquelas realizadas sem o “cordão umbilical” que mantém os astronautas conectados à base.

Icônica foto da primeira caminhada espacial sem amarras

Usando um tipo de “mochila” chamado Unidade de Manobra Tripulada (MMU), o astronauta da NASA Bruce McCandless II fez a primeira caminhada espacial sem corda durante a missão STS-41B, em 7 de fevereiro de 1984, se afastando por mais de 97 metros do ônibus espacial Challenger (ninguém nunca foi para tão longe de sua nave).

A manobra de McCandless gerou uma das mais fantásticas imagens da história da astronáutica. É a esse episódio marcante, que completou 40 anos esta semana, que o Programa Olhar Espacial desta sexta-feira (9) será dedicado.

Pode-se dizer que o convidado desta noite é uma estrela – não do céu, mas dos palcos, da TV e da internet: o ator e roteirista Juliano Righetto, que vem fazendo um trabalho bem bacana de divulgação da astronomia no Youtube, como apresentador e idealizador do canal “Somos míopes porque somos breves”, no YouTube.

Righetto trabalhou em diversas obras consagradas, com destaque para as peças “Os Azeredo mais os Benevides” e “Ensaio sobre a Cegueira”, além das minisséries “A Casa das Sete Mulheres”, “Um só Coração”, “JK” e “Queridos Amigos” e das novelas “Ciranda de Pedra”, “Tititi”, “Sangue Bom” e “A Lei do Amor”, na Globo. Ele também é escritor, autor dos livros “A Segunda Aurora”, “Deati” e “Blecaute” (os dois últimos ainda inéditos).

Como assistir ao Programa Olhar Espacial

Apresentado por Marcelo Zurita, presidente da Associação Paraibana de Astronomia – APA; membro da SAB – Sociedade Astronômica Brasileira; diretor técnico da Rede Brasileira de Observação de Meteoros – BRAMON e coordenador nacional do Asteroid Day Brasil, o programa é transmitido ao vivo, todas às sextas-feiras, às 21h (horário de Brasília), pelos canais oficiais do veículo no YouTube, Facebook, Instagram, Twitter (X), LinkedIn e TikTok, além do canal por assinatura Markket (611-Vivo, 56 -Sky e 692-ClaroTV).