Prates: Brasil será autossuficiente em diesel automotivo

Capacidade da Petrobras em fornecer o combustível ao mercado doméstico crescerá em até 40% com ampliação de refinaria Abreu e Lima; atualmente, cerca de um terço do diesel consumido no país é importado

49

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, avalia que o anúncio da ampliação da capacidade de refino de Abreu e Lima anunciado nesta quarta-feira (17) vai culminar na autossuficiência de diesel automotivo no Brasil.

Segundo Prates, a autossuficiência será alcançada como resultado de três movimentos diferentes:

  1. Ampliação da capacidade de refino em Abreu e Lima;
  2. Aumento do uso do diesel R, de origem vegetal, pela Petrobras e
  3. Gradual elevação da mistura de biodiesel no diesel vendido nos postos de combustível.

“Assim, evidentemente, você ficará autossuficiente em diesel automotivo”, disse Prates à CNN.

Atualmente, cerca de um terço do diesel consumido no Brasil é importado porque o país não tem capacidade de refino suficiente para atender a demanda nacional.

Nesta quarta, a Petrobras anunciou a ampliação da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. A capacidade de produção da estatal nessa instalação será ampliada em 13 milhões de litros diários do diesel tipo S10.

Com isso, a capacidade da Petrobras em fornecer o combustível ao mercado doméstico crescerá em até 40%, segundo a empresa.

O investimento faz parte do Plano Estratégico 2024-28 e também está previsto no Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal. O projeto está incluído no plano de negócios da estatal que já foi anunciado, e prevê US$ 17 bilhões em projetos de refino, transporte e comercialização.

A expansão de Abreu e Lima deve gerar 30 mil empregos diretos e indiretos, segundo estimativa da Petrobras.

Amanhã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente da Petrobras participam da cerimônia de lançamento do projeto de expansão.

A construção da refinaria pernambucana foi investigada pela Operação Lava Jato, que indicou o superfaturamento de contratos e o desvio de recursos da obra. O projeto foi concluído com valor muito superior ao inicialmente previsto.