Relembre 12 celebridades brasileiras e estrangeiras que morreram em 2023

55

O ano de 2023 foi marcado por perdas irreparáveis no universo dos famosos.

No Brasil, nomes como Glória Maria e Rita Lee aparecem entre as pessoas que faleceram neste ano. No exterior, destacam-se a cantora Tina Turner e o ator Matthew Perry.

Para relembrar, a CNN reuniu uma lista de 12 celebridades brasileiras e estrangeiras que morreram ao longo de 2023.

Veja a lista abaixo e relembre cada caso:

Glória Maria

Gloria Maria faleceu vítima de um câncer no cérebro

Glória Maria morreu na manhã do dia 2 de fevereiro, no Rio de Janeiro, por complicações de um câncer no cérebro. A informação foi confirmada pela TV Globo, empresa pela qual ela exercia a profissão desde o início dos anos 1970.

Glória estava internada no hospital Copa Star, em Copacabana, desde o dia 4 de janeiro. Em dezembro do ano passado, a decana do jornalismo global foi afastada da apresentação do “Globo Repórter” para cuidar de sua saúde.

Não tinha sido o primeiro afastamento dela por razão médica. Glória Maria chegou a ficar afastada por quase dois anos da apresentação do programa por conta de, inicialmente, uma licença médica para operar um tumor no cérebro, no final de 2019, e depois por conta da pandemia da Covid-19.

Rita Lee

Retrato da descontraída cantora Rita Lee fazendo careta, em 1981

A notícia da morte da cantora Rita Lee foi confirmada no dia 9 de maio, em publicação nas redes sociais oficiais da cantora e de seu marido, Roberto de Carvalho.

Em 2021, Rita foi diagnosticada com um câncer no pulmão. Após tratamento, foi curada da doença, mas estava em recuperação.

As mortes da jornalista Glória Maria e da cantora Rita Lee foram as que mais se destacaram nas buscas do Google no Brasil em 2023, segundo lista divulgada pela plataforma.

Léa Garcia

Atriz Léa Garcia morreu em 2023

A atriz Léa Garcia morreu aos 90 anos de idade por “complicações cardiológicas”.

A morte foi comunicada no dia 15 de agosto através de seu perfil nas redes sociais.

“É com pesar que nós familiares informamos o falecimento agora, na cidade de Gramado, no Festival de Cinema de Gramado, da nossa amada Léa Garcia”, afirmou a nota.

Léa estava hospedada na cidade gaúcha com seu filho, Marcelo Garcia.

Aracy Balabanian

A atriz Aracy Balabanian durante sessão de fotos para o jornal "O Estado de S. Paulo", nos estúdios do Projac, da TV Globo, na zona oeste do Rio de Janeiro.

A atriz Aracy Balabanian morreu aos 83 anos no Rio de Janeiro.

Ela estava internada na Clínica São Vicente, na zona sul da capital fluminense. O hospital confirmou a morte à CNN, mas não divulgou a causa.

Com mais de meio século de carreira, a artista ficou marcada por seus papéis em novelas e outras produções da TV Globo, como as personagens Cassandra, em “Sai de Baixo”, e Dona Armênia, em “Rainha da Sucata”.

MC Marcinho

MC Marcinho era portador de cardiopatia e doença renal crônica

Marcio André Nepomuceno Garcia, o MC Marcinho, morreu no dia 26 de agosto vítima de falência múltipla de órgãos. O cantor tinha 45 anos.

A informação foi confirmada à CNN pelo Hospital Copa D’Or, localizado na zona sul do Rio de Janeiro, onde o cantor estava internado para tratar uma cardiopatia e doença renal crônica.

O artista estava hospitalizado desde o dia 27 de junho, após sofrer uma parada cardíaca, e estava sob cuidados intensivos no hospital.

Zé Celso

Foto de arquivo sem data do dramaturgo José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, em apresentação no Teatro Oficina, em São Paulo.

O diretor de teatro Zé Celso morreu no dia 6 de juho após um incêndio atingir seu apartamento, no bairro do Paraíso, na zona sul de São Paulo. Ele estava internado no Hospital das Clínicas, na capital paulista.

Marcelo Drummond, marido do artista, contou à CNN os últimos momentos com o companheiro e como foi o resgate.

Um dos mais importantes expoentes do teatro brasileiro, Zé Celso criou o Teatro Oficina e dirigiu peças relevantes como “O Rei da Vela”, de Oswald de Andrade, e “Roda Viva”, de Chico Buarque.

Palmirinha Onofre

Palmirinha Onofre morreu neste domingo (7), em São Paulo, aos 91 anos

A apresentadora e cozinheira Palmira Nery da Silva Onofre, a Vovó Palmirinha, morreu na manhã do dia 7 de maio, aos 91 anos, em São Paulo.

Ela estava internada no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, na capital paulista, desde o dia 11 de abril.

Palmirinha estreou na TV em 1994, aos 63 anos, com uma participação no programa da apresentadora Silvia Popovic na TV Bandeirantes, o que a fez ser descoberta por Ana Maria Braga que, na época, apresentava o Note e Anote, na TV Record.

Tina Turner

Cantora Tina Turner, a rainha do rock 'n' roll, morre aos 83 anos. Na foto, ela posa para foto no gramado do Maracanã, no Rio de Janeiro, em 1988.

Tina Turner, a dinâmica cantora de rock e soul que surgiu de origens humildes e superou um casamento notoriamente abusivo para se tornar uma das artistas femininas mais populares de todos os tempos, morreu aos 83 anos.

Ela morreu “pacificamente após uma longa doença” em sua casa em Küsnacht, perto de Zurique, na Suíça, disse um representante de Tina à Reuters, no dia 24 de maio.

Turner, frequentemente chamada de a “rainha do Rock ‘n’ Roll”, foi uma das maiores cantoras de todos os tempos, conhecida por sucessos como “What’s Love Got to Do with It” e “(Simply) The Best”.

Matthew Perry

Ator Matthew Perry faleceu 2023

A morte de Matthew Perry chocou o mundo inteiro e gerou inúmeras reações em Hollywood.

O ator, mundialmente famoso por seu papel como Chandler em “Friends”, foi encontrado morto no dia 28 de outubro, em sua casa em Los Angeles, segundo a polícia.

De acordo com o relatório da autópsia, Matthew Perry morreu em consequência dos “efeitos agudos da cetamina” e subsequente afogamento.

O relatório, divulgado pelo Gabinete do Examinador Médico de Los Angeles, mostra que o sangue de Perry deu positivo para cetamina, que é conhecida por tratar depressão e ansiedade.

“Com os altos níveis de cetamina encontrados em suas amostras de sangue post-mortem, os principais efeitos letais seriam tanto da super estimulação cardiovascular quanto da depressão respiratória”, afirma o relatório.

Michael Gambon

Michael Gambon interpretou Dumbledore a partir do segundo filme da saga Harry Potter

O ator irlandês Michael Gambon, conhecido por interpretar o professor Alvo Dumbledore na saga de filmes “Harry Potter”, morreu aos 82 anos, no dia 28 de setembro.

Ele faleceu de forma tranquila no hospital, conforme informou a PA Media, agência estatal de notícias do Reino Unido, citando um comunicado da família.

Seu papel mais conhecido foi como Dumbledore na franquia “Harry Potter”, posto que ele assumiu no terceiro filme da série de oito filmes depois de substituir o falecido Richard Harris em 2004.

Na época, Gambon minimizou os elogios por sua atuação e disse que simplesmente se representava usando “uma barba grudada e um manto longo”.

Sinéad O’Connor

Sinead O'Connor no palco do Olympic Ballroom, em 1988

A cantora irlandesa Sinéad O’Connor foi encontrada inconsciente pela polícia e declarada morta em um endereço residencial no sudeste de Londres no dia 26 de julho, conforme informou a Polícia Metropolitana de Londres.

Sinéad O’Connor teve seu primeiro disco, “The Lion and the Cobra”, lançado com aclamação da crítica em 1987.

Mas a consagração veio com o segundo álbum “I Do Not Want What I Haven’t Got”, de 1990, que inclui a música de autoria de Prince, “Nothing Compares 2 U” — seu maior sucesso.

O videoclipe da música mostrava apenas a cantora, com cabelos raspados e gola escura, interpretando a música, que lhe rendeu várias indicações para o Grammy, vencendo por Melhor Performance Alternativa, e como Vídeo do Ano da MTV de uma artista feminina.

Tony Bennett

Tony Bennett em apresentação no Radio City Music Hall, em Nova York, em 1998.

O lendário cantor norte-americano Tony Bennett morreu no dia 21 de julho, aos 96 anos, de acordo sua assessora de longa data, Sylvia Weiner.

Em 2021, sua família revelou que o artista havia sido diagnosticado com Alzheimer em 2016.

O cantor é conhecido mundialmente pela canção “I Left My Heart in San Francisco”, lançada em 1962. Ele soma 41 indicações ao Grammy, vencendo 20 prêmios, além de ter recebido Lifetime Achievement Award pelo conjunto da obra.

Não importa quantos prêmios ele ganhou, ou quantas horas cansativas em turnê ele registrou, ou quantas vezes ele cantou sua música de assinatura, Bennett costumava dizer que nunca havia trabalhado um dia em sua vida – porque adorava se apresentar.

Em uma carreira que durou oito décadas, Bennett encantou Bob Hope e Frank Sinatra, que o chamou de “melhor cantor da indústria”, e gravou dois álbuns de duetos com Lady Gaga.