Teste de DNA em mulher que alegava ser filha de Pelé dá negativo

Pelé indicou a possibilidade da existência de outra filha, que teria direito a receber parte dos 70% de seu patrimônio, dividido por outros sete filhos

72

O resultado do teste de DNA de uma mulher que pedia para ser reconhecida como filha de Pelé deu negativo. Em testamento, Pelé indicou a possibilidade da existência de outra filha, que teria direito a receber parte dos 70% de seu patrimônio, dividido por outros sete filhos. A mulher, identificada como Maria do Socorro Azevedo, ainda pode pedir uma contraprova. O “Rei do futebol” morreu em dezembro de 2022, aos 82 anos.

O reconhecimento da paternidade dependia de um teste de DNA que não pôde ser realizado quando Pelé estava vivo devido à pandemia e a seu estado de saúde. Portanto, o exame foi realizado pelos filhos do ex-jogador. Edinho, que está à frente dos trâmites da herança do pai, disse que o resultado do teste saiu “há dois meses no máximo”.

“Já fizemos os exames e já confirmou que não é irmã da gente. Já fizemos tanto nós por um laboratório e ela também fez e confirmou que não existe parentesco”, afirmou Edinho, um dos sete filhos de Pelé, à AFP.

A fortuna do “Rei do futebol” está estimada em R$ 78 milhões. Segundo Edinho, o processo para inventariar o patrimônio do pai e dividir a herança está ocorrendo tranquilamente. “Está acontecendo de uma forma muito natural, com muita harmonia entre os irmãos. Com a Márcia (última esposa de Pelé, que tem direito a 30% dos bens) também, sem problema. Tudo o que foi determinado pelo meu pai será respeitado”, destacou.