Medicamento capaz de reduzir até 17% do peso é liberado no Brasil

37

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta segunda-feira (2/1), o primeiro tratamento de uso semanal para sobrepeso e obesidade. O Wegovy (semaglutida 2,4mg) é produzido pela farmacêutica Novo Nordisk, que também fabrica o Ozempic — medicamento para diabetes usado “off label” para a perda de peso.

A semaglutida é um agonista receptor do GLP-1 RA, muito semelhante ao hormônio humano GLP-1, que age na produção de insulina e na sensação de saciedade. A molécula induz a perda de peso e reduz a fome do paciente. Esta combinação contribui para que o indivíduo coma menos e, consequentemente, tenha um déficit calórico e emagreça.

O medicamento é comercializado nos Estados Unidos desde 2021. A decisão da Anvisa, publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (2/1), foi baseada nos resultados do programa de ensaios clínicos STEP (Semaglutide Treatment Effect in People with Obesity) realizado com cerca de 4,5 mil pessoas de todo o mundo.

Estudo clínico

No estudo, um em cada três pacientes perdeu 20% de seu peso corporal durante o tratamento com Wegovy. Os participantes que usaram o medicamento perderam, em média, 17% do peso corporal em cerca de 17 meses. Os voluntários que fazem parte do grupo de controle, com uso de placebo, perderam apenas 2,4% de massa durante o período.

Ao final do estudo clínico, um em cada três pacientes havia perdido 20% de seu peso corporal. Cerca de 80% conseguiram reduzir 5% ou mais do peso com o uso semanal da semaglutida.

“Com essa aprovação, entramos oficialmente em uma nova era no tratamento da obesidade, com resultados de redução de peso nunca antes vistos”, afirma o médico endocrinologista Bruno Halpern, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso).

O médico endocrinologista Paulo Miranda, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), avalia a aprovação do uso da semaglutida em dose de 2,4mg para o tratamento da obesidade como um marco importante para o tratamento da doença e das pessoas com diagnóstico de obesidade.

“Temos um pequeno arsenal de medicações disponíveis hoje e esta chega, como o remédio que nos estudos demonstrou a maior potência em redução de perda de peso de forma sustentada e segura”, afirma.

O médico lembra que a terapia farmacológica deve ser associada a mudanças de hábito de vida, com acompanhamento de um endocrinologista e de uma equipe multidisciplinar.

Efeitos colaterais

Durante os ensaios clínicos, alguns participantes que fizeram uso do Wegovy apresentaram eventos colaterais considerados leves e transitórios. Os relatados com mais frequência foram de natureza gastrointestinais, como náuseas, vômitos, diarreia, constipação e dores abdominais.

Ozempic

Embora o Wegovy utilize a semaglutida, mesmo princípio do Ozempic – medicamento para diabetes tipo 2 que ganhou popularidade pelo uso off label para a perda de peso –, tratam-se de produtos distintos. A farmacêutica destaca que os tratamentos possuem diferentes indicações, dosagens, informações de prescrição, esquemas de titulação e, por isso, não são intercambiáveis.

Uso no Brasil

Ainda não há uma data prevista para que o Wegovy chegue ao mercado brasileiro. A próxima etapa do processo de incorporação será a definição de preços pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).