Promotoria retira acusações contra Neymar no caso de sua transferência para o Barcelona

Após pedir dois anos de prisão e multa de 10 milhões de euros, Ministério Público espanhol diz que acusações eram feitas com base em presunções, e não em provas.

57

A Promotoria espanhola retirou, nesta sexta-feira (28), todas as acusações de corrupção e fraude contra Neymar e os demais réus no julgamento realizado em Barcelona por supostas irregularidades durante a transferência do jogador para o Barcelona em 2013.

A própria promotoria pedia dois anos de prisão e multa de 10 milhões de euros (cerca de R$ 53 milhões) ao jogador brasileiro no processo, aberto pela empresa DIS, que representava Neymar à época de sua transferência do Santos para o Barcelona.

A DIS alega que o valor total do passe foi diluído em contratos fictícios e, por isso, recebeu menos do que deveria pelo passe. Além de Neymar, seus pais e os ex-presidentes do Barcelona Sandro Rossel e Josep Bartomeu.

Nesta sexta, porém, o Ministério Público anunciou a “retirada das acusações contra todos os réus e por todos os fatos” pelos quais foram processados.

Segundo o jornal espanhol “Marca”, o promotor responsável pelo caso alegou nesta sexta-feira diante de um tribunal em Barcelona que “o caso se baseou em presunções, não em provas”.

O processo ainda segue no âmbito civil, porém pode perder força após a retirada das acusações por parte da promotoria.

A retirada aconteceu em um dos últimos dias do julgamento final do caso, que começou em 2015 e, desde então, tem sido um grande imbróglio na Justiça espanhola. O caso gerou a demissão do então presidente do Barcelona, Sandro Rossel, além do desgaste do jogador na Espanha.

A ação foi apresentada há sete anos pelo grupo DIS, fundo que possuía parte dos direitos econômicos do atleta quando ele era atacante do Santos. A DIS alega que recebeu menos do que o que deveria pela transferência, já que, segundo o grupo, o valor total do passe foi diluído em contratos fictícios.

Por isso, Neymar, que a partir de 20 de novembro vai liderar a seleção na Copa do Catar, é acusado do crime de corrupção empresarial pelo Ministério Público da Espanha.