Russos em fuga deixam corpos de soldados para trás

Tropas da Rússia deixaram cidade ucraniana de Lyman, em Donetsk, em meio a contraofensiva de Kiev para retomar áreas recém-anexadas ao território russo.

59

Tropas russas que fugiram da cidade de Lyman, na região ucraniana de Donetisk, leste do país, deixaram para trás corpos de soldados da Rússia e da Ucrânia pelas ruas.

A cidade tinha sido invadida em maio e é parte da área ucraniana recém-anexada à Rússia, mas o território está sendo retomado numa contraofensiva de Kiev que está levando à fuga dos russos (entenda mais abaixo).

Lyman foi abandonada pelas tropas russas no último fim de semana. Nesta terça-feira (4), equipes da agência de notícias AP viu 18 corpos de soldados no chão.

Os militares ucranianos recolheram os corpos de soldados da Ucrânia que encontraram, mas deixaram os de russos no chão mesmo.

Soldados ucranianos passam por corpo de um russo, em 4 de outubro de 2022 — Foto: Evgeniy Maloletka/AP

Soldados ucranianos, de moto, perto de corpos de russos, em 4 de outubro de 2022 — Foto: Evgeniy Maloletka/AP

A guerra na Ucrânia viveu uma escalada nas últimas semanas, após Kiev anunciar um ambicioso plano de retomada de diversas regiões em território ucraniano invadidas por Moscou. Com a ajuda militar e estratégica de países do Ocidente, o governo ucraniano afirmou ter reconquistado cerca de 10% das áreas ocupadas por tropas russas.

Em resposta, o presidente russo, Vladimir Putin, fez um pronunciamento à nação pela TV anunciando a convocação de cerca de 300 mil reservistas no país inteiro, o que gerou uma grande onda de fuga de jovens russos. Dias depois, quatro regiões da Ucrânia – Kherson, Zaporizhzhia, Luhansk e Donetsk – foram submetidas a um referendo organizado e realizado por Moscou sobre se os cidadãos locais queriam se separar da Ucrânia e se anexar à Rússia.

Putin anunciou vitória na consulta pública e, na semana passada, assinou a anexação dos quatro territórios em uma cerimônia transmitida por telões em Moscou. A ONU e a comunidade internacional não reconhecem a anexação.

A cidade de Lyman é parte de um dos locais anexados ilegalmente pela Rússia (Donetsk) e é considerada um local estratégico porque lá funcionava um centro logístico para os territórios ucranianos que as forças russas haviam conseguido ocupar militarmente.

Na noite de terça-feira (4), o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, afirmou que dezenas de localidades foram retomadas das quatro regiões que os russos ocuparam.

Na região de Kherson, ele listou oito vilarejos.

As forças russas reconheceram o avanço da contraofensiva ucraniana. O vice-líder da ocupação russa em Kherson, Kirill Stremousov, disse que as tropas ucranianas fizeram “alguns avanços” na região norte e que estavam atacando em outros flancos. Ele afirmou, no entanto, que os ucranianos foram detidos e que tiveram perdas importantes.

Mais soldados russos

Mais de 200 mil pessoas foram convocadas para o serviço militar desde que a Rússia anunciou uma “mobilização parcial” há duas semanas, disse nesta terça-feira o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, segundo a agência de notícias RIA Novosti.

Shoigu afirmou que a Rússia pretende recrutar mais 300 mil militares como parte da iniciativa.