Furacão Ian causa duas mortes na Flórida, diz governador; moradores buscam desaparecidos

Após passar pelo estado norte-americano, Ian perdeu força e virou uma tormenta tropical, em direção à Carolina do Sul.

66

Duas pessoas morreram durante a passagem do furacão Ian pela Flórida, segundo informado pelo governador Ron DeSantis nesta quinta-feira (29). Ele disse que os condados de Lee e Charlotte, que abrigam mais de 900.000 pessoas, estão “basicamente incomunicáveis”.

Nesta manhã, equipes de resgate e moradores da costa do Golfo da Flórida procuravam pessoas desaparecidas, após o furacão Ian causar fortes ventos, chuvas torrenciais, grandes ondas e cortes de energia. Árvores, detritos e linhas de energia ficaram sobre estradas.

Uma das tempestades mais poderosas a atingir a área continental dos EUA nos últimos anos, Ian inundou comunidades antes de atravessar a península até a costa atlântica do país. As empresas de energia locais disseram que mais de 2,5 milhões de residências e empresas na Flórida continuam sem energia.

Ian – que já enfraqueceu e se transformou em tempestade tropical – tocou terra na ilha de Cayo Costa na tarde de quarta-feira (28) como um furacão de categoria 4, com ventos máximos sustentados de 150 milhas por hora (241 km/h).

 

Homem é retirado de área alagada por equipes de resgate em Orlando, nos EUA, após passagem de furacão Ian, em 29 de setembro de 2022.  — Foto: John Raoux/ AP

‘Dano histórico’, diz DeSantis

O furacão rapidamente transformou a costa sudoeste da Flórida, pontilhada de praias arenosas, cidades costeiras e parques de trailers, em uma zona de desastre. A água do mar foi varrida para as casas à beira-mar.