Armas nucleares podem ser usadas na Ucrânia, diz autoridade russa

Vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitry Medvedev disse que quaisquer armas no arsenal do país, incluindo nucleares, podem ser utilizadas para defender territórios ucranianos reivindicados por forças russas

29
YEKATERINBURG, RUSSIA - AUGUST 25, 2017: An Iskander-M missile system during a demonstration show as part of the Army-2017 International Military-Technical Forum at the Sverdlovsky training ground. Donat Sorokin/TASS (Photo by Donat SorokinTASS via Getty Images)

O ex-presidente russo Dmitry Medvedev disse, nesta quinta-feira (22), que quaisquer armas no arsenal de Moscou, incluindo “armas nucleares estratégicas”, podem ser usadas para defender territórios da Ucrânia que foram reivindicados pela Rússia.

Medvedev, que também atua como vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, disse que os referendos planejados por autoridades russas ocupadas e separatistas em grandes áreas do território ucraniano ocorrerão e “não há como voltar atrás”.

“As repúblicas do Donbass (Donetsk e Luhansk) e outros territórios serão aceitos na Rússia”, acrescentou.

Medvedev disse que a proteção de todos os territórios seria significativamente reforçada pelas forças armadas russas, dizendo:

”A Rússia anunciou que não apenas as capacidades de mobilização, mas também quaisquer armas russas, incluindo armas nucleares estratégicas e armas baseadas em novos princípios, podem ser usadas para tal proteção.”

Espera-se que os referendos que ocorrerão nas partes controladas pela Rússia das províncias de Donetsk, Luhansk, Kherson e Zaporizhzhia, bem como parte da província de Mykolaiv, a partir de sexta-feira, produzam resultados que endossam esmagadoramente a adesão à Rússia.