Cavalo de Tróia: Saiba como proteger seu celular contra o malware

55

O Brasil é o segundo país da América Latina que mais sofre com tentativas de ataques cibernéticos, ficando atrás do México. De acordo com os dados da Fortinet, o país sofreu com 31,5 bilhões de tentativas de invasões cibernéticas de janeiro a julho de 2022.

Os cibercriminosos têm adotado cada vez mais estratégias para os ataques, mas o Cavalo de Tróia, um dos malwares mais conhecidos mundialmente, continua sendo utilizado por muitos malfeitores para acessar dados dos dispositivos de vítimas. 

Por muito tempo o Cavalo de Tróia foi um malware disseminado exclusivamente por computadores, com a popularização dos smartphones e aplicativos que são usados diariamente por usuários, os criminosos viram uma nova oportunidade de fazer vítimas com o roubo de dados.

As invasões por Cavalo de Troia geralmente começam após o clique em links sem segurança e aplicativos maliosos, com isso o malware concede acesso do dispositivo ao invasor, e se torna capaz de excluir, modificar e copiar dados. Além de monitorar as ações do usuário em seu dispositivo e prejudicar o desempenho dos aparelhos ou redes.

Para evitar a infecção do Cavalo de Tróia em smartphones, Angelo Sebastião Zanini, Coordenador do curso de Engenharia de Computação do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), alerta que o malware geralmente é implantado após clicar em um link ou aplicativo de origem duvidosa. e pode monitorar todas as operações feitas no smartphone. “Tudo o que está instalado no mesmo smartphone está comprometido”, afirma Zanini.

Zanini ressalta que o Cavalo de Tróia pode acessar as informações do celular independente do número de chips no dispositivo. “O melhor, portanto, seria ter dois smartphones: um para instalar todos os aplicativos financeiramente sensíveis ( bancos, wallets de cartões de crédito etc) e outro para aplicativos de comunicação e lazer. O mais vulnerável ficaria em casa, enquanto o outro seria para uso geral com menos preocupação”, recomenda Zanini.

O docente passa mais algumas dicas para se proteger contra o Cavalo de Tróia:

  • Tenha autenticação de dois fatores – Acessar contas de bancos com mais de uma senha aumenta muito a segurança para acesso.
  • Desabilitar as notificações – A dica é não receber no mesmo smartphone as notificações de “esqueci minha senha”, de forma que criminosos não possam acessar códigos de SMS ou e-mails para redefinir senhas ou contas nas redes sociais.
  • Programe backups do aparelho – Os backups ajudam a manter os dados na nuvem, evitam perda de memórias importantes e tornam o resgate das informações mais simplificado em caso de roubo. É importante analisar quantos dados você utiliza e manter uma rotina de backup periódicos em aplicativos como iCloud, Google Drive, Google Fotos e WhatsApp.