Campanha de Multivacinação de crianças e adolescentes começa nesta segunda-feira (8)

Objetivo da campanha é manter a erradicação da poliomielite

75

A partir desta segunda-feira (8), Porto Velho promove a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação para crianças e adolescentes menores de 15 anos. A aplicação das doses ocorrerá em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de forma intensificada. As campanhas seguem até 9 de setembro.

A ação é orientada pelo Ministério da Saúde com o objetivo de diminuir o risco de reintrodução do vírus da poliomielite no país, além de aumentar a cobertura vacinal para todas as vacinas e atualizar as carteiras de vacinação de crianças e adolescentes. O Dia D da campanha será no dia 20 de agosto.

“Já fizemos a capacitação dos técnicos que irão trabalhar nesta campanha e agora vamos capacitar os agentes comunitários para que eles façam a busca em campo das crianças e as encaminhem para nossa unidade de saúde”, explica a gerente de Imunização municipal, Elizeth Gomes.

Nos dias da campanha, os pais de crianças e adolescentes devem levá-los às UBS junto com suas cadernetas de vacinação para que as equipes de saúde possam identificar quais imunizantes precisam ser aplicados.

Meta é manter a erradicação de doenças no público infantil

IMUNIZAÇÃO

A campanha contra a poliomielite busca alcançar, ao menos, 95% das crianças de 1 a 4 anos de idade com a vacina. O esquema de imunização da doença prevê a aplicação de três doses aos 2, 4 e 6 meses de idade, mediante injeção intramuscular, e por via oral aos 15 meses e aos 4 anos.

Já a multivacinação busca a atualização do cartão de vacina para o público com idade até 15 anos. A imunização de crianças e adolescentes seguirá de acordo com o Programa Nacional de Imunizações (PNI).

POLIOMIELITE

A poliomielite é uma doença contagiosa aguda causada por vírus que pode provocar paralisias irreversíveis e fatais. Por causa da vacinação, o Brasil não detecta casos da doença desde 1989 e, em 1994, recebeu a certificação de eliminação da doença, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). Contudo, a doença reapareceu em alguns países recentemente, levantando um alerta internacional.