Modelo mais recente de urnas eletrônicas será testado por pesquisadores da USP, diz TSE

Novos equipamentos, mais modernos e seguros, foram entregues em dezembro e, por isso, não passaram pelo teste convocado em agosto de 2021. Agora, equipes da USP vão replicar testagem.

56

Pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) farão testes de segurança no novo modelo da urna eletrônica que será usado nas eleições deste ano, informou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo o tribunal, serão testados o hardware e o software das urnas modelo UE 2020. Essas urnas não passaram pelo Teste Público de Segurança (TPS) realizado em maio porque só foram entregues em dezembro do ano passado, quando o edital de testagem já tinha sido lançado.

O teste público do novo modelo de urna foi alvo de questionamento das Forças Armadas na Comissão da Transparência das Eleições, criada pelo TSE em 2021 para discutir a segurança da votação.

Em resposta, a Corte informou que a análise da segurança dos sistemas estão previstas em um convênio firmado com a universidade. Desde outubro passado, a USP colabora com a Justiça Eleitoral para aprimorar a integridade e a confiabilidade do voto eletrônico.

Nesta quinta (14), o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, voltou a defender que a realização de testes públicos de segurança em urnas eletrônicas novas deveria ser feita pelo TSE.

Conforme o TSE, no teste haverá ataques direcionados ao conjunto de programas (softwares) e equipamentos (hardware) que compõem o sistema eleitoral. Os estudantes tentarão quebrar o sigilo ou alterar a destinação dos votos.