Cientistas descobrem microplástico em leite e carnes vendidos nos Países Baixos

73

Cientistas da Vrije Universiteit Amsterdã descobriram que três quartos da carne e dos produtos lácteos dos Países Baixos contêm partículas microplásticas. O estudo-piloto mostra que porcos e vacas são expostos aos produtos químicos por meio da ração. Os pesquisadores são os mesmos que descobriram microplástico no sangue humano, em março deste ano. Agora, replicaram o método, mas em produtos de origem animal.

Entenda a pesquisa

Durante a pesquisa, foram analisadas 12 amostras de sangue de vaca e 12 de sangue de porco, onde foram encontrados microplásticos em todas, incluindo polietileno e poliestireno.

Ao investigar 25 amostras de leite, provenientes de supermercados, tanques em fazendas e ordenha manual, os pesquisadores descobriram que 18, pelo menos uma de cada tipo, estavam contaminadas. Sete das oito amostras de carne bovina e cinco das oito de carne suína continham microplásticos. “Ainda não se sabe se há algum risco toxicológico potencial dessas descobertas”, disseram os autores do estudo.

Rações têm microplásticos

Para compreender melhor a razão por que esses resíduos vão para o organismo dos animais, os pesquisadores também analisaram amostras de diferentes tipos de ração. Em todas as 12 amostras de ração animal triturada que examinaram encontraram microplásticos. 

Alimentos frescos testados não apresentaram partículas de plástico mensuráveis. A equipe de cientistas acredita que o consumo de ração que contenha microplástico pode ser uma das vias de contaminação dos porcos e das vacas.

Os resultados revelam que a cadeia alimentar já está contaminada. “Há uma primeira indicação de que partículas de plástico estão presentes em concentrações detectáveis na ração animal moderna, nos animais que a comem e nos produtos agrícolas”, diz o documento.

Uma possível consequência é o registro de “partículas de plástico na maioria (75%) da carne bovina e das amostras de carne de porco” pesquisadas. 

“Portanto, os seres humanos podem ser potencialmente expostos a partículas de plástico comendo carne bovina ou suína”. Haverá menor risco, provavelmente, por meio do leite, afirma o estudo.

Vacas e porcos. Imagem: Shutterstock

Estudo é visto como “chocante”

O trabalho foi encomendado pela organização ambiental holandesa Plastic Soup Foundation, que procura acrescentar dados científicos, com o objetivo de alertar a população a conter a poluição na fonte.

“Com os microplásticos presentes na alimentação do gado, não é surpreendente que uma clara maioria dos produtos de carne e laticínios testados contenha microplásticos. Precisamos urgentemente de livrar o mundo do plástico na alimentação animal para proteger a saúde do gado e dos seres humanos”, alerta Maria Westerbos, diretora da Plastic Soup Foundation, que descreve os resultados como “chocantes”.