Justiça decreta prisão de terceiro suspeito por envolvimento na morte de Bruno Pereira e Dom Phillips no AM

O suspeito, identificado como Jeferson da Silva Lima, vulgo “Pelado da Dinha”, está foragido, segundo o boletim divulgado pela PF na noite desta sexta-feira (17).

98

A Justiça do Amazonas expediu, na noite desta sexta-feira (17), o mandado de prisão em nome de Jeferson da Silva Lima, vulgo “Pelado da Dinha”. Ele é apontado pela Polícia Federal como o terceiro suspeito por envolvimento na morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips.

“Pelado da Dinha” está foragido, segundo o boletim divulgado pela PF (leia íntegra da nota abaixo). A participação de um terceiro envolvido no crime já era cogitada pela autoridades.

Um dia após o encontro dos restos mortais do indigenista do jornalista, delegado de Atalaia do Norte, Alex Perez Timóteo, cumpriu na quinta-feira (16) mandado de busca e apreensão na casa de um suspeito que ainda não teve o nome divulgado pela Polícia Civil do Amazonas.

Além de Jeferson da Silva Lima, os irmãos Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado” – que confessou o crime nesta quarta (15) –, e Oseney da Costa de Oliveira também estão presos em Atalaia do Norte, a 1.136 quilômetros de Manaus.

A PF e a Polícia Civil do Amazonas seguem em buscas da localização deste terceiro suspeito e solicitam apoio da população com informações sobre o paradeiro dele.

Em nota divulgada nesta sexta, a Polícia Federal também informou que as investigações apontam que não houve mandante ou organização criminosa envolvida no crime. Segundo o texto, a apuração continua e novas prisões podem ocorrer, mas o inquérito aponta “que os executores agiram sozinhos”.

Ainda nesta sexta, a PF confirmou que os restos mortais encontrados na Amazônia na última quarta-feira (15) são do jornalista inglês Dom Phillips. O resultado foi obtido a partir de análise da arcada dentária. A perícia precisa confirmar a identificação dos restos mortais do indigenista Bruno Araújo Pereira.

Envolvimento de mais suspeitos

Na quinta-feira (16), fontes informaram à GloboNews que a Polícia Federal investiga a participação de cinco suspeitos no caso.

Investigadores afirmaram que, até agora, há indícios mais fortes a respeito dos executores. Policiais ainda tentam reunir mais elementos sobre o suposto mandante do crime.

O número de suspeitos muda conforme novas provas são adicionadas à investigação.

Suspeito confessou envolvimento

Desaparecimento de jornalista e indigenista no AM: imagem mostra Amarildo preso — Foto: Reprodução

O anúncio da localização de “remanescentes humanos” foi feito pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, por uma rede social, no início da noite de quarta-feira (15).

Em entrevista coletiva na mesma noite, o superintendente da Polícia Federal (PF) no Amazonas, Alexandre Fontes, afirmou que Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, confessou envolvimento no assassinato de Pereira e Phillips.

As vítimas teriam sido mortas a tiros e os corpos, esquartejados e enterrados. O irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como “Dos Santos”, também está preso suspeito de participação no caso. Outras três pessoas são investigadas.

Veja locais de principais acontecimentos do desaparecimento de indigenista e jornalista no AM. — Foto: Arte/g1

Motivação

A motivação do crime ainda é incerta, mas a polícia apura se há relação com a atividade de pesca ilegal e tráfico de drogas na região. Segunda maior terra indígena do país, o Vale do Javari é palco de conflitos típicos da Amazônia: desmatamento e avanço do garimpo.

Amarildo da Costa Oliveira, o “Pelado”, está detido desde 7 de junho. Segundo a polícia, ele foi visto por ribeirinhos, no dia do desaparecimento, em uma lancha logo atrás da embarcação de Pereira e Phillips. Os agentes encontraram vestígios de sangue no barco do suspeito, que vinha negando ter qualquer relação com o caso. Já Oseney, o “Dos Santos”, foi preso temporariamente na terça-feira (14).

Na quarta-feira (15), além de confessar participação nos crimes, Amarildo também indicou onde afundou a embarcação que era usada por Bruno e Dom. O restos mortais foram achados a cerca de 3,1 km de distância de onde itens pessoais do indigenista e do jornalista, como cartão de saúde e notebook, haviam sido encontrados dias atrás.

'Remanescentes humanos' encontrados durante buscas devem passar por perícia. — Foto: Edmar Barros/AP
‘Remanescentes humanos’ encontrados durante buscas devem passar por perícia. — Foto: Edmar Barros/AP

Veja a nota na íntegra do boletim da PF:

“O Comitê de Crise coordenado pela Polícia Federal/AM, informa a existência de mandado de prisão expedido pela Justiça Estadual de Atalaia do Norte em desfavor de Jeferson da Silva Lima, vulgo “Pelado da Dinha”, não localizado até o momento.

A PF e a PC continuam envidando esforços na localização e prisão do elemento foragido.Solicita, ainda, àquele que tiver alguma informação que venha contribuir com as buscas, que comuniquem as autoridades imediatamente.”