‘Tenham cuidado com a língua’, diz Papa ao defender Sogras

'Eu não diria que as sogras são vistas como se fossem o diabo, mas é certo que elas são tratadas de forma pejorativa', afirmou o papa.

119

O Papa Francisco tratou, nesta quarta-feira (27), de um conflito ao defender as sogras, afirmando que elas são vítimas de “clichês” triviais, ao mesmo tempo em que insistiu que elas precisam “prestar atenção a [seu] linguajar” na hora de se relacionar com suas noras.

Durante sua audiência geral na Praça de São Pedro, dedicada à relação entre as gerações, o pontífice fez um longo discurso sobre “a personagem mítica” da sogra.

“Eu não diria que as sogras são vistas como se fossem o diabo, mas é certo que elas são tratadas de forma pejorativa. Porém, a sogra é a mãe de seu marido e a mãe de sua esposa”, declarou.

“Dizemos que a sogra, quanto mais longe estiver, melhor. Mas não, ela é mãe e uma anciã. Uma das coisas mais bonitas para uma mulher é ter netos. Quando os filhos têm crianças, ela volta a viver”, continuou o papa argentino, de 85 anos.

O líder católico também mandou um recado para as noras. “Cuidem das relações com suas sogras. Às vezes, elas são um pouco especiais, mas vocês não deram à luz a seu cônjuge”, afirmou.

E para as sogras, Francisco fez a seguinte advertência: “Tenham cuidado com a língua, porque a língua é um dos maiores pecados das sogras”, de acordo com a agência italiana Ansa. O papa ainda disse que os ciúmes que as sogras podem sentir de seus filhos pode ser um perigo.

Joelho debilitado

Nesta ocasião, o papa pediu desculpas por ter presidido a audiência geral sentado, explicando que está muito debilitado, com fortes dores no joelho que o obrigaram a cancelar diversos compromissos recentemente.

“Peço-lhes perdão porque vou saudá-los sentado”, disse Francisco ao final da audiência.

“Este joelho demora a sarar, e não posso ficar de pé por muito tempo. Desculpe-me, obrigado”, disse, diante de aplausos do público.

Francisco, que iniciou em março seu décimo ano de pontificado, sofre com uma dor aguda no joelho direito, que o impediu de participar de determinados atos recentemente. 

O pontífice disse, na semana passada, ao jornal argentino “La Nación” que estava tratando sua dor, causada pela ruptura de um ligamento, com gelo e analgésicos.