Dia da Ressaca: veja como prevenir ou amenizar os sintomas da bebedeira

Data é lembrada nesta segunda-feira (28). Nutricionista recomenda muita água durante e depois de se consumir bebida alcóolica.

120

Muita gente gosta de beber, principalmente nos fins de semana e feriados. Quando se fala em carnaval, então, mesmo sem eventos, não é diferente.

No entanto, quando se exagera na ingestão de álcool, o dia seguinte pode ser de sofrimento com a indesejada ressaca – algo pelo qual ninguém quer passar, mas que tem até data especial, que é nesta segunda-feira (28).

Comemorar uma ressaca pode ser estranho, mas a data serve para lembrar sobre os cuidados básicos para amenizar os sintomas, ou mesmo prevenir este desconforto, sempre lembrando que beber demais faz mal à saúde e não é recomendado.

De acordo com a medicina, a ressaca é um conjunto de sintomas físicos e mentais que surgem devido ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas. O exagero resulta em, pelo menos, três problemas:

  1. Uma leve desidratação
  2. Aumento da atividade do fígado para eliminar o excesso de álcool do sangue
  3. Alteração no sistema nervoso devido à hipoglicemia induzida pelos altos níveis de álcool circulantes

Já os sintomas mais comuns da ressaca são dor de cabeça, enjoo, mal estar geral e sede excessiva.

Como evitar ressaca

Brinde com taças de vinho (foto de arquivo) — Foto: Freepik

A advogada Patrícia Melo, de 48 anos, conta que consome bebida alcóolica, ao menos, três vezes por semana. Mas explica que tem seus “segredinhos” para não sofrer tanto com a ressaca.

“Eu tomo um ‘protetor’ para o fígado antes de beber, ou durante o consumo e, no dia seguinte, tomo outro. Também tento beber muita água, mas o problema é que a gente acaba esquecendo da água quando tá bebendo. Aí já era”, conta.

Segundo Patrícia, quando a ressaca vem “o dia fica todo comprometido”. “A dor de cabeça, às vezes, é tão forte que não te deixa fazer as tarefas cotidianas direito. É complicado demais trabalhar ou fazer qualquer coisa que exija concentração, quando se está de ressaca. Por isso é importante se cuidar”, diz a advogada.

A dica do aeroportuário Rodolfo Brito é não misturar bebidas diferentes. “O erro do jovem é misturar”, diz ele.

“Começou na cerveja, bebe cerveja a noite inteira. Começou no whisky, fica no whisky. Assim é sucesso”, diz ele.

Rodolfo Brito faz consumo de bebidas alcóolicas de duas a quatro vezes por semana — Foto: Arquivo pessoal

Rodolfo assume que bebe, ao menos, duas vezes por semana, mas que em 2021 “bateu o recorde” e chegou a ingerir bebidas alcóolicas entre três a quatro vezes por semana.

A nutricionista Renata Manganelli recomenda que a ingestão de bebida alcoólica seja sempre acompanhada do consumo de água, para evitar a desidratação.

“O ideal é o consumo de um copo d’água após cada copo de bebida”, diz a nutricionista.
água, hidratação — Foto: depositphoto

Ela também lembra que é importante fazer uma refeição antes de começar a beber. “Assim o álcool é absorvido mais devagar pelo organismo”, ensina Renata.

Como amenizar os sintomas

Rodolfo Brito reconhece que, às vezes, a “empolgação é grande demais” quando se está, principalmente, com um grupo de amigos, e os cuidados acabam sendo esquecidos. Ele lembra de um show do cantor Gusttavo Lima, quando bebeu tanto que acabou subindo no palco. “Cantei, abracei, e tenho essa história até hoje. No dia seguinte, a ressaca foi braba”, conta o aeroportuário que guarda uma foto da ocasião (veja abaixo).

A nutricionista Renata Manganelli diz que quando a pessoa esquece de se cuidar, durante a bebedeira, a melhor maneira de amenizar os sintomas no dia seguinte é ingerindo bastante líquido.

Rodolfo Brito subiu ao palco e cantou junto do cantor sertanejo Gusttavo Lima — Foto: Arquivo pessoal

Frutas como melão, melancia, pera e maçã também são boas para rebater a ressaca, aponta Renata. Além de conter muita água, o açúcar das frutas ajuda repor os níveis de glicose.

“É recomendado beber bastante água de coco, que ajuda a repor o potássio e o sódio perdidos na desidratação. Vale usar hortelã e gengibre, em chás ou sucos, que também ajudam no alívio das dores estomacais e enjoos”, recomenda a nutricionista. 

“Mas é importante evitar as frutas cítricas, para não irritar o estômago, que já está sensível”, diz Renata. A nutricionista também aconselha refeições leves, para não sobrecarregar ainda mais o estômago e o fígado.

“É importante não comer alimentos fritos, dando preferência para assados. Sopas e caldos também são muito bons para desintoxicar o organismo” afirma.