Autoridades de Kiev dizem que estão fortalecendo as defesas após uma noite “calma”

Ainda assim, moradores foram alertados para permanecerem em casa

105
Militares ucranianos patrulham área de Kiev 24/02/2022REUTERS/Umit Bektas

A capital ucraniana teve uma noite “calma” neste domingo (27), disse o Conselho da Cidade de Kiev na manhã de segunda-feira (28) – mas as autoridades alertaram os moradores para permanecerem em casa enquanto os combates continuam.

“No geral, a noite passada foi calma, excluindo algumas brigas com grupos de sabotagem e reconhecimento. No entanto, a cidade estava ocupada preparando sua defesa. Veremos fortificações, armadilhas para tanques e outras estruturas defensivas que apareceram nas ruas de Kiev”, disse o conselho em comunicado.

Mercearias e transporte público em Kiev estão abertos desde às 8 h, horário local, embora o metrô funcione com menor frequência do que o normal.

“Por favor, não saiam de suas casas a menos que tenham uma necessidade urgente”, como comprar mantimentos ou remédios, disse o comunicado, acrescentando que “brigas de rua continuam ocorrendo em todos os bairros da cidade”.

“Pedimos que unam forças e ajudem uns aos outros: perguntem aos seus vizinhos se eles precisam de ajuda, especialmente quando se trata de idosos ou famílias cujos parentes estão defendendo a Ucrânia. Cuidem dos apartamentos dos vizinhos que deixaram a cidade para evitar saques”, disse o conselho.

O toque de recolher na cidade continua em vigor a partir das 22 h às 7 h, horário local.

Entenda o conflito

Após meses de escalada militar e intemperança na fronteira com a Ucrânia, a Rússia atacou o país do Leste Europeu. No amanhecer desta quinta-feira (24), as forças russas começaram a bombardear diversas regiões do país – acompanhe a repercussão ao vivo na CNN.

Horas mais cedo, o presidente russo, Vladimir Putin, autorizou uma “operação militar especial” na região de Donbas (ao Leste da Ucrânia, onde estão as regiões separatistas de Luhansk e Donetsk, as quais ele reconheceu independência).O que se viu nas horas a seguir, porém, foi um ataque a quase todo o território ucraniano, com explosões em várias cidades, incluindo a capital Kiev.

De acordo com autoridades ucranianas, dezenas de mortes foram confirmadas nos exércitos dos dois países.

Mapa mostra a rota russa em direção à capital Kiev / CNN Brasil
Mapa mostra a rota russa em direção à capital Kiev / CNN Brasil

Em seu pronunciamento antes do ataque, Putin justificou a ação ao afirmar que a Rússia não poderia “tolerar ameaças da Ucrânia”. Putin recomendou aos soldados ucranianos que “larguem suas armas e voltem para casa”. O líder russo afirmou ainda que não aceitará nenhum tipo de interferência estrangeira.

Esse ataque ao ex-vizinho soviético ameaça desestabilizar a Europa e envolver os Estados Unidos.

A Rússia vem reforçando seu controle militar em torno da Ucrânia desde o ano passado, acumulando dezenas de milhares de tropas, equipamentos e artilharia nas portas do país. Nas últimas semanas, os esforços diplomáticos para acalmar as tensões não tiveram êxito.

A escalada no conflito de anos entre a Rússia e a Ucrânia desencadeou a maior crise de segurança no continente desde a Guerra Fria, levantando o espectro de um confronto perigoso entre as potências ocidentais e Moscou.

(Com informações de Sarah Marsh e Madeline Chambers, da Reuters, e de Eliza Mackintosh, da CNN)