Sobe para 136 número de óbitos confirmados em Petrópolis

Polícia Civil antecipa lançamento do Portal dos Desaparecidos

111
Imagens de drone das áreas de deslizamento de encosta em Petrópolis, em decorrência das fortes chuvas que atingiram, a região serrana do Rio de Janeiro

O Corpo de Bombeiros confirmou a 136ª morte em decorrência do temporal que atingiu Petrópolis na terça-feira (15). Mais cedo, o Instituto Médico Legal (IML), vinculado à Polícia Civil, informou que já havia concluído a identificação de 57 corpos. Destes, 30 já haviam sido liberados para sepultamento.

Mais de 130 pessoas chegaram a ser dadas como desaparecidas por familiares, mas alguns foram posteriormente localizados em abrigos ou identificados entre os mortos. Na manhã de hoje, pelo menos 57 pessoas ainda estavam sendo buscadas.

Estão sendo empregados drones da Polícia Civil nas atividades de resgate. Os equipamentos apoiam o trabalho da Defesa Civil e sobrevoam regiões buscando sobreviventes e realizando o monitoramento de áreas atingidas, possibilitando avaliar os riscos de novos deslizamentos

Portal de Desaparecidos

Para facilitar o acesso a informações oficiais por parte de familiares, a Polícia Civil lançou hoje (18) o Portal de Desaparecidos. A entrega da ferramenta, que estava em desenvolvimento há algum tempo, foi antecipada diante da tragédia em Petrópolis.

Pelo portal, é possível consultar fotografias e informações de pessoas desaparecidas em todo o estado do Rio, cujas ocorrências tenham sido registradas em alguma delegacia física ou pela delegacia online. “Os ajustes, em caso de necessidade, serão realizados com a página em funcionamento”, informou a Polícia Civil.

Busca e limpeza em Petrópolis

Bairro Castelânea em Petrópolis, após fortes chuvas que atingiram a região Serrana do Rio

Os trabalhos de busca por vítimas e de limpeza prosseguem nas diferentes regiões da cidade. Segundo informou a prefeitura, mais de 140 carros que foram arrastados pelas chuvas e estavam espalhados pela cidade foram retirados de ruas e de rios. Muitos deles estavam obstruindo vias e dificultando a movimentação das pessoas, já que foram parar nas calçadas.

Foram necessários 35 caminhões de reboque e quatro guinchos para este trabalho. Os veículos rebocados foram levados para o pátio do Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ), no bairro Morin, onde os proprietários poderão retirá-los. Por se tratar de uma tragédia, não haverá cobrança de taxa pelo reboque, nem multa.

O governo do Rio de Janeiro afirma ter sido a pior chuva registrada na cidade desde 1932. A Defesa Civil municipal vem atuando para evacuar as pessoas de áreas de risco.

A orientação é para que os moradores que não tenham a opção de se acolher em casa de familiares em área segura se desloquem para os pontos de apoio. Ao todo, 25 escolas foram designadas pela prefeitura para receber os desabrigados.

Serviços de saúde

As chuvas impactaram também os serviços de saúde, tendo sido suspensos alguns atendimentos, incluindo a vacinação contra a covid-19.

“Além da dificuldade de acesso de alguns profissionais aos locais de trabalho, devido às interdições, algumas unidades também sofreram danos com a chuva”, informou a Secretaria de Saúde.

O órgão acrescenta que trabalha para restabelecer a normalidade dos atendimentos. A pasta está priorizando a atuação em unidades próximas ao Morro da Oficina, o local mais atingido.

Houve um grande deslizamento de terra no local, que fica próximo à Rua Teresa, conhecida área comercial perto do centro histórico. A prefeitura estima que cerca de 80 casas tenham sido afetadas.

Bombeiros, moradores e voluntários trabalham no local do deslizamento no Morro da Oficina, após a chuva que castigou Petrópolis, na região serrana fluminense

Chuvas que caíram ontem (17) em Petrópolis voltaram a gerar dificuldades para o município. Diferentes vias da cidade foram interditadas em decorrência de alagamentos e inundações, entre elas as ruas Washington Luiz e Coronel Veiga, que ligam o centro histórico ao bairro Quintandinha.

Ao longo de toda a noite, sirenes instaladas próximas a áreas de risco da cidade permaneceram acionadas. Moradores também estão sendo alertados por mensagem de celular sobre a possibilidade de novas precipitações.

A Concer, concessionária de um trecho de 180 quilômetros da rodovia federal BR-040, informou há pouco que a subida da serra de Petrópolis está operando em meia pista em dois pontos devido a ocorrências vinculadas às chuvas