Mutirão de limpeza trabalha no bairro Arigolândia nesta quarta-feira (12)

População deve atentar aos perigos e danos que o descarte irregular de resíduos causa em vias públicas, canais de escoamento e terrenos baldios

168

A prefeitura segue com o cronograma de limpeza nos bairros e região central de Porto Velho. Nesta quarta-feira (12), a Secretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb) levou a força-tarefa ao bairro Arigolândia, região central da cidade. A ação envolve mais de 40 servidores da prefeitura, com os serviços de roçagem, capina, recolhimento de entulho e varrição. Os trabalhos começaram por volta das 8h no entorno da Fundação Nacional do Índio (Funai), e segue avançando na direção do Estádio Aluízio Ferreira até o final da tarde. Uma equipe noturna, composta por 20 servidores, dará prosseguimento aos serviços na parte da noite.

Nascida no bairro Arigolândia, Marilene Brasil, de 62 anos, é uma cidadã exemplar da rua em que reside. Ela mantém a limpeza na frente de casa e os lixos ensacados na lixeira.

Morador do bairro, Edmílson Olímpio Rodrigues, de 63 anos

“Sempre mantenho a frente da minha casa limpa. É muito importante que cada morador faça o mesmo, até porque, esse dever é nosso. A frente da casa faz parte do imóvel, então não é responsabilidade da prefeitura manter limpa essa parte da residência”, explica.

Outro morador do bairro, Edmílson Olímpio Rodrigues, de 63 anos, fala sobre o descarte irregular de lixos na beira da rua e sobre as consequências que este mau hábito pode trazer à comunidade.

“Descartar o lixo na rua é muito ruim. Todos os dias o caminhão de coleta de lixo passa aqui, o que custa colocar tudo no saco? Fica feio pra gente; a cidade fica feia, ainda mais agora que passamos por esse período de chuvas, o lixo entra no bueiro e entope tudo, isso sem falar das doenças”, relata o morador da rua Major Amarante.

A Semusb alerta à população sobre o descarte irregular de resíduos sólidos, líquidos e gasosos em vias públicas, canais de escoamento e terrenos baldios. Conforme o Art. 54 da Lei de Crimes Ambientais, nº 9.605/1998, a prática de descarte irregular é crime e pode levar o infrator à reclusão, detenção ou pagamento de multa, que pode variar de R$ 3 mil a R$ 10 mil.

Secretário da Semusb, Wellen Prestes

“Pedimos à população que fique atenta quanto ao descarte irregular de lixo. Pedimos, também, que os moradores dos bairros onde o mutirão vai passar, já deixem separado os lixos a serem descartados, pois um caminhão da Semusb passará para recolher”, destaca o titular da Semusb, Wellen Prestes.

Os depósitos de lixo contaminam o solo e o lençol freático com chorume – substância tóxica composta de matéria orgânica, metais pesados, excrementos de humanos e animais, cobre, mercúrio, arsênio, entre outros -, além de atrair moscas, roedores, baratas e mosquitos, o que pode aumentar a incidência de enfermidades como a dengue, chikungunya, febre amarela e leptospirose.

Para denunciar o descarte incorreto de lixo, a Semusb dispõe do telefone: 0800 647 1390. Ao fazer a denúncia é importante informar o endereço de onde ocorreu a prática de crime ambiental.

O bairro Olaria é o próximo a receber o mutirão. Ao término dos serviços, as equipes seguirão para as zonas Leste e Sul.