PL cancela evento de filiação de Bolsonaro no dia 22

Valdemar Costa Neto contou que decisão foi tomada 'de comum acordo' com o presidente da República após 'intensa troca de mensagens'; nova data ainda é estudada

60

O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, cancelou o evento de filiação do presidente Jair Bolsonaro que aconteceria em 22 de novembro. Em uma carta enviada aos integrantes do partido na manhã deste domingo (14), ele contou que a decisão foi tomada “em comum acordo” e “após intensa troca de mensagens” com o presidente da República durante esta madrugada.

“A data de 22 de novembro foi cancelada, não havendo, ainda, uma nova data para o compromisso de filiação”, finalizou Costa Neto no comunicado. A assessoria de imprensa do partido reforçou que outras datas são estudadas para o evento.

Mais cedo, Bolsonaro havia anunciado o possível adiamento do evento. Na avaliação dele, ainda há muitas pautas a serem alinhadas com o partido, principalmente sobre assuntos conservadores e de coligações nas eleições de 2022. Isso porque o presidente quer que seja um “casamento perfeito” com o PL.

“Eu acho difícil essa data de 22. Eu tenho conversado com ele e estamos em comum acordo que podemos atrasar um pouco esse casamento para que ele não comece sendo muito igual os outros. Não queremos isso”, acrescentando que “tem muita coisa a conversar com o Valdemar ainda”.

Ele não respondeu sobre uma nova data ao ser questionado por jornalistas em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde cumpre agendas econômicas. “Quer saber a data da criança se eu nem casei ainda? Que data vai nascer a criança”, disse.

“Temos muitas coisas a acertar ainda. Por exemplo, o discurso meu e do Valdemar nas questões das pautas conservadoras, nas questões de interesse nacional, na política de relações exteriores. A questão de defesa, os ministros, o padrão de ministros a continuar”, detalhou.

Bolsonaro quer, ainda, ter controle das disputas estaduais. “A gente não vai aceitar, por exemplo, que São Paulo apoie alguém do PSDB. Não tenho candidato em São Paulo ainda, talvez o Tarcísio [Gomes de Freitas, ministro da Infraestrutura] aceite esse desafio”, finalizou.