Cantor anti-vacina morre de Covid-19, mas antes dá entrevista arrependido

Vocalista do The Chameleonz tinha 40 anos e acreditava estar imune por conta da prática de exercícios

136

Já estamos há mais de um ano sobrevivendo em uma pandemia, mas nem todo mundo entendeu que é preciso se cuidar usando máscaramantendo o distanciamento social e, claro, se vacinando. Recentemente, o cantor Marcus Birks, do duo The Chameleonz, faleceu de Covid-19. O artista era conhecido por ser anti-vacina, mas se arrependeu do posicionamento antes de morrer.

Aos 40 anos de idadeBirks acreditava que estava imune à doença por praticar esporte cinco vezes por semana. Apesar de já haver pesquisas que comprovam que ninguém está imune à Covid-19 por conta do condicionamento físico, o britânico não acreditava muito nessa história.

Porém, quando ainda estava internado no hospital, Marcus Birks deu uma entrevista à BBC e comentou sobre o seu arrependimento. “Se você não ficou doente, você não acha que vai ficar doente, então me ouça. Quando você sente que não consegue respirar o suficiente, essa é a sensação mais assustadora do mundo”, declarou.

“Eu meio que era ignorante sobre isso e adiei [minha vacina]. A primeira coisa que direi a toda a minha família e a todos que eu vir é ‘tomem a vacina’. E assim que eu conseguir, com certeza o farei”, completou. Mas, infelizmente, o Marcus não teve esse tempo.

O cantor deixa a esposa Lis, com quem tocava no The Chameleonz, grávida do primeiro filho. Em comunicado, ela comentou o falecimento do marido. Veja:

Meu coração foi completamente arrancado e não sei como você pode lidar com tanta dor e mágoa. Marcus era o homem mais incrível, atencioso, amoroso, leal, altruísta e orgulhoso e tudo o que ele queria fazer era ajudar o máximo de pessoas que pudesse. Isso, por si só, mostrava que coração e alma puros ele possuía. Gostaria de agradecer a todos por suas amáveis ​​palavras e apoio nas últimas semanas. Marcus ficou realmente maravilhado com a quantidade de vocês que enviaram lembranças a ele.