DEFESA ANIMAL | Órgãos debatem iniciativas para o bem-estar e a proteção de animais abandonados

Prefeitura fará campanha para que animais sejam adotados diretamente dos abrigos

109

A Prefeitura de Porto Velho vem desenvolvendo uma série de ações em parceria com os órgãos e entidades que atuam diretamente na defesa e proteção dos animais domésticos. Entre os serviços em andamento está a entrega de ração de cães e gatos para organizações que resgatam e protegem animais abandonados. 

O trabalho é coordenado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema), através do Programa de Bem-Estar e Proteção Animal.

Representantes de órgãos e associações que atuam na causa se reuniram com o prefeito Hildon Chaves para tratar do assunto. Ele informou que foi aberta recentemente uma licitação para cumprir a Lei Municipal 825/2020, que trata do serviço de castração e microchipagem de animais domésticos.

“Muitos animais estão em abrigos particulares ou sob a guarda de protetores independentes. Em breve, também vamos implantar microchip de identificação nestes animais para que sejam monitorados. Vamos reduzir a presença de animais nas ruas de Porto Velho”, disse o prefeito.

CONSCIENTIZAÇÃO

O secretário da Sema, Alexandro Miranda, ressaltou que há um trabalho de conscientização da população para que não abandone os animais.

“O nosso objetivo é incentivar a população a adotar os animais que já se encontram nos abrigos, castrados e microchipados e, assim, a entidade ou protetor, poderá realizar a captura de novos animais, para que posteriormente estes também passem pelo procedimento inicial”, disse.

CLÍNICO

Outra pauta da reunião foi a escolha de um local específico para atendimento clínico de urgência e emergência de animais. Técnicos da Sema estão elaborando a minuta de Termo de Referência para abertura de licitação para contratação de empresa especializada, que fará o atendimento veterinário.

ENCAMINHAMENTOS

Quanto à necessidade de um abrigo municipal, ficou decidido que o município fará um estudo de local e viabilidade e, que, em até 60 dias, novos encaminhamentos devem ser apresentados aos órgãos e associações que atuam com a proteção animal.

REGISTROS

Participaram da reunião o promotor de Justiça Alan Castiel, a procuradora da República Gisele Blegg e a delegada titular da Delegacia Especializada na Repressão de Crimes contra o Meio Ambiente da Polícia Civil, Janaina Xander Wessel.