MORADIA | Prefeito visita obras do conjunto habitacional no bairro Socialista

Famílias inscritas devem ficar atentas para a atualização cadastral na Semur

138

A construção de 269 unidades habitacionais populares na rua Osvaldo Ribeiro, no bairro Socialista, segue em ritmo acelerado. O prefeito Hildon Chaves, acompanhado do vice-prefeito Maurício Carvalho, visitou o canteiro de obras, na segunda-feira (12). “É um trabalho importantíssimo que vai beneficiar famílias que aguardam e estão sem moradias há muito tempo” disse o prefeito durante a visita.

A entrega da obra vai proporcionar a realização de um sonho para centenas de pessoas em Porto Velho. “Eu não queria pagar aluguel porque o dinheiro é pouco. É uma coisa que pra mim fica difícil trabalhar pra comprar uma casa. Está difícil o emprego hoje”, afirma Aldineia Ribeiro, uma das contempladas com o empreendimento.

As obras do residencial foram retomadas em março deste ano. E para selecionar as famílias que terão direito aos imóveis, a Prefeitura Municipal intensificou a atualização do cadastro das famílias que poderão ser beneficiadas com os imóveis.

Cada imóvel contém dois quartos, um banheiro, uma cozinha e uma sala integrada. A área construída é de 38 metros quadrados.

Conforme o planejamento feito pela Secretaria Municipal de Regularização Fundiária, Habitação e Urbanismo (Semur), 10 casas serão destinadas a pessoas com deficiência (PCD).

Segundo a gerente da Divisão de Levantamento Socioeconômico da Semur, Cristiane de Castro, a revisão do cadastro das famílias é feita para verificar a atual condição socioeconômica dos beneficiários.

“É preciso atender a um perfil específico. E é este trabalho que nós estamos realizando. Vamos conferir se há famílias que foram atendidas em outro empreendimento ou que foram embora da cidade. Casos assim são excluídos do cadastro. Temos um cadastro de reserva de pessoas que estão aguardando a oportunidade de obter sua moradia”, explicou.

A atualização do cadastro apresenta algumas dificuldades. Uma delas é a localização das pessoas inscritas. Muitas mudaram de endereço ou contato telefônico. De 97 famílias cujo cadastro está sendo revisado, 20 não foram encontradas. “As famílias que se enquadram no perfil devem levar os documentos até a Semur para a atualização documental”, orienta Cristiane de Castro.

“As que não forem localizadas terão seus nomes publicados no Diário Oficial do Município para que seja dada publicidade e transparência aos atos. O não comparecimento no prazo determinado acarretará a exclusão da inscrição”, explica a gerente.