TPM 2.0: o que é e como ativar o chip para instalar o Windows 11

Entenda o que é o TPM 2.0, como verificar se seu PC dispõe do recurso e como ativá-lo para deixar o PC pronto para o Windows 11

141

O Windows 11, anunciado pela Microsoft na última quinta (24), exige que o PC tenha o TPM 2.0 ativo. O “Trusted Platform Module” é uma espécie de chip de segurança comum em computadores desde 2017, mas nem sempre está presente. Se for o caso, a máquina pode ser incompatível com o novo sistema operacional da Microsoft.

Portanto, pouco tempo antes da chegada do OS de forma oficial, vale a pena conferir se seu PC tem o chip e se o mesmo está ativado. A seguir, explicamos o que é o TPM, o porquê de sua exigência e algumas formas de verificar se o recurso está disponível.

Windows 11 pode não exigir TPM 2.0 em alguns casos, revela documento

Saiba o que é o TPM 2.0 e entenda como ativá-lo para instalar o Windows 11 assim que chegar — Foto: Divulgação/Microsoft

O que é o TPM e por que ele é necessário?

O TPM consiste em um componente que pode aparecer como um chip separado na placa-mãe ou mesmo embutido no processador, seja ele Intel ou AMD. Sua função no computador é guardar dados sensíveis, como chaves de criptografia, criando uma barreira física contra a ação de criminosos interessados em interceptar informações sensíveis.

Esse tipo de arquitetura, com um hardware exclusivo para lidar com dados sensíveis, não é inédito. A Apple faz isso há alguns anos em todos os seus dispositivos com o Secure Enclave e celulares Android oferecem estrutura parecida em seus processadores. O próprio TPM 1.2 existe nos PCs, com pleno suporte da Microsoft, desde 2011. Por muitos anos, a tecnologia foi aplicada em PCs e notebooks com uma pegada mais corporativa, já que a barreira de hardware para maior segurança acabava interessando ao ramo.

Windows 11 vai exigir de chip de segurança no PC para ser instlaado — Foto: Reprodução/Microsoft

Em algumas situações, é possível que seu computador contenha o recurso, mas esteja desabilitado. Nesse caso, você pode falhar no teste de compatibilidade oficial da Microsoft para descobrir se seu PC é compatível com o Windows 11.

Como descubro se meu PC tem o chip?

Passo 1. No seu teclado, faça o atalho “Tecla Windows + R”. Ou, se preferir, procure por “Executar” na busca do Windows;

Abra o Executar do Windows 10 — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Passo 2. Digite “tpm.msc” na caixa de busca do sistema e confirme com Enter;

Atalho permite abrir o Gerenciador do módulo TPM disponível no sistema — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Passo 3. O Windows vai abrir o gerenciamento do TPM. Em “Status”, você consegue visualizar se o seu módulo já está ativo. No campo “Informações sobre o Fabricante do TPM” há a importante informação relativa à versão da tecnologia: no caso do computador que usamos no teste, ela é compatível com a versão 2.0 e, portanto, o sistema está apto a rodar o Windows 11;

Confira em "Status" se o módulo está em operação e cheque também a versão da tecnologia — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Confira em “Status” se o módulo está em operação e cheque também a versão da tecnologia — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Como ativar o TPM?

Supondo que seu computador dispõe do hardware de segurança, mas ele não está ativado, você pode acessar a interface de BIOS para fazer alterações no TPM. As formas de acessar a BIOS e suas interfaces variam muito de fabricante a fabricante, mas, caso seu computador tenha o módulo, obrigatoriamente terá ao menos métodos de limpeza da memória interna disponível.

Passo 1. Dentro da BIOS, você terá de fazer um processo “de detetive”. Identifique opções e menus que façam menções a “Security” (“Segurança”), “Trusted Platform”, TPM ou “Trusted Computing”. No notebook que usamos, a BIOS da Samsung reserva opções do TPM dentro do menu “Security”. Mas, como já mencionamos, as interfaces gráficas de BIOS podem variar bastante;

Encontre o menu ou grupo de opções relacionado à segurança na BIOS — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Passo 2. A área de controle do TPM do seu computador deverá conter algum tipo de seletor para definir se a tecnologia está ativa (“On”) ou desligada (“Off”). Caso esteja desativada, apenas reverta para “On”;

Encontre o recurso de configuração do módulo TPM na BIOS — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Encontre o recurso de configuração do módulo TPM na BIOS — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Passo 3. Lembre-se de, ao sair da BIOS, salvar e aplicar suas modificações. A partir de então, o recurso deverá estar ativo e ser reconhecido pelo Windows. O ideal é repetir a checagem anterior e executar o diagnóstico de compatibilidade do Windows 11 novamente para confirmar se o TPM foi ativado.

Ative o recurso e lembre-se de salvar suas alterações — Foto: Filipe Garrett/TechTudo