Rejeição a Bolsonaro volta ao recorde de 59%; aprovação é de 35%, diz pesquisa

Número de eleitores "indiferentes" caiu de 13% para 6%

218

rejeição ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido) subiu 5 pontos percentuais em relação às últimas duas semanas e voltou a atingir o recorde, de 59% . É a maior rejeição desde junho de 2020. Já a aprovação ficou em 35%, 1 ponto percentual a menos que a pesquisa que a pesquisa PoderData anterior, realizada há duas semanas. pelo Poder 360 em parceria com o Grupo Bandeirantes.

A pesquisa mostra, também, redução dos eleitores “indiferentes” – aqueles que não sabem ou preferem não opinar. Há 15 dias, eles representavam 10% dos entrevistados; hoje, são 6%.

Os números de avaliação do trabalho pessoal de Bolsonaro também indicam um quadro de maior polarização. Os que consideravam o presidente “regular” eram 19% há duas semanas, e passaram a ser 13% na pesquisa atual.

A pesquisa foi realizada no período de 24 a 26 de maio de 2021 e entrevistou 2.500 entrevistas em 462 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.