Protestos na Colômbia: como a violência tomou conta das ruas do país

164

“Havia crianças e mães, era um ambiente de família”, lembra Kevin Reyes, um liderança social da região. As pessoas presentes à vigília percorreram o caminho que liga o bairro ao resto da cidade.

“Por volta das 20h30 começamos a ouvir que o Esmad (Esquadrão Móvel Anti-Motim) estava chegando… então chegou um helicóptero que tocava o hino nacional e uma luz refletora foi emitida como se procurasse pessoas”, ele lembra.

E aí começou um confronto no qual Reyes viu “policiais encapuzados e militares disparando armas semiautomáticas e rifles”.