Solidariedade faz jus ao nome e reúne ex-tucanos e ex-petistas à mesma mesa

O advogado e ex-juiz Leo Facchin, também filiado, revelou que foi procurado por outros partidos, como o PSD, dentre outros, mas preferiu aceitar o convite do Solidariedade, por ser um partido de centro-direita

51

Reunindo numa mesma mesa ex-deputados ligados a Ivo Cassol, como o técnico agrícola Carlos Magno e o empresário Tiziu Jidalias, ex-petistas com passagem pelo PDT, como o ex-governador Daniel Pereira, e até mesmo ex-tucanos, o partido Solidariedade realizou reunião de filiação na tarde desta quinta-feira, 6, no auditório do Sindsef, em Porto Velho. Na plateia, figuras que andavam meio esquecidas, como o ex-deputado Miguel Sena.

O delegado de Polícia Civil Eliseu Müller discursou elogiando o espírito de solidariedade presente no encontro. O deputado Laerte Gomes, presidente da Assembleia Legislativa, se retirou mais cedo para cumprir agenda em Ji-Paraná mas não sem antes também discursar e enaltecer a vinda de Daniel Pereira para os quadros do partido.
O advogado e ex-juiz Leo Facchin, também filiado, revelou que foi procurado por outros partidos, como o PSD, dentre outros, mas preferiu aceitar o convite do Solidariedade, por ser um partido de centro-direita. Não houve constrangimentos por parte dos ex-petistas presentes, que pareceram aceitar de bom grado a classificação como centro-direita.
Em seu discurso, o ex-deputado Carlos Magno enfatizou que seu líder político, o ex-senador Ivo Cassol, está fazendo falta no cenário estadual. E elogiou a presença do ex-juiz Leo Facchin no partido, a quem se referiu como “um excelente quadro”.
O ex-deputado Tiziu Jidalias também fez uso da palavra, destacando a importância da organização do partido, no que fez especial agradecimento ao correligionário Cláudio Faria. E comunicou oficialmente que estava disposto a dar a presidência regional do Solidariedade a Daniel Pereira.  O evento foi prestigiado pelo presidente nacional do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força.