Governo Federal diminuiu doses da vacina antirrábica para Porto Velho

71

O desabastecimento da vacina antirrábica tem preocupado a Secretaria Municipal de Saúde em Porto Velho (Semusa), que recebeu comunicado do Ministério da Saúde, informando sobre o problema que ocorre em todo o território nacional, devido a uma insuficiência na produção da vacina, mundialmente.

O estoque mensal, enviado pelo MS para Porto Velho, é de 700 doses mensais, mas, em março, a Semusa recebeu um total de 300 doses que já foram todas utilizadas.

“A previsão que o Ministério nos deu foi de que, até o dia 25 de abril, uma nova remesse chegue para abastecer as unidades de saúde, devido a isso, uma triagem está sendo feita pelas equipes das unidades, para que aquelas pessoas que passaram por uma situação de risco sejam as primeiras a receber a vacina”, informou a gerente de imunização da Semusa, Elizeth Gomes.

A recomendação da Vigilância em Saúde é para que: “Após a lesão, lavar o local com bastante água e sabão, conseguir o endereço do animal agressor para observação e, de imediato, procurar uma unidade de saúde”, explica Régia Pacheco, diretora de Vigilância em Saúde.

A unidade de saúde deve fazer a notificação à Divisão de Controle de Zoonoses (DCZ), que fará a observação do animal. “Assim, teremos uma melhor vigilância dos casos. Vacinação, somente dos casos necessários”, concluiu a diretora. A Semusa esclarece ainda que, a vacina para animais domésticos não está em falta e está disponível o ano inteiro no DCZ.