Astronauta mulher quebrará recorde de permanência no espaço

53

A astronauta Christina Koch, da Agência Espacial Norte-Americana (NASA), teve sua permanência estendida na Estação Espacial Internacional até fevereiro de 2020. Com isso, ela ficará 328 dias no espaço, o que supera o recorde de 288 dias de Peggy Whitson.

Cristina foi integrada à tripulação que está na órbita da Terra em março deste ano. Apesar de não ter conseguido protagonizar a primeira caminhada espacial totalmente feminina por falta de traje ideal, ela terá seu nome marcado na história da exploração espacial.

No entanto, Peggy é detentora de diversos recordes da NASA, incluindo o de maior número de caminhadas espaciais, além de ser a primeira astronauta mulher a liderar a Estação Espacial.

O recorde que será batido por Cristina também não está distante do estabelecido por astronautas homens, como Scott Kelly, que atualmente conta com a marca de 340 dias no espaço.

“Astronautas demonstram incrível capacidade de recuperação e adaptabilidade em resposta à longa duração de voos espaciais.

Isso permitirá missões de exploração bem-sucedidas com astronautas saudáveis e prontos para um bom desempenho”, afirmou Jennifer Fogarty, chefe do programa de Pesquisa Humana da NASA, em Houston. Segundo a pesquisadora, a NASA está planejando futuras missões de exploração da Lua e de Marte com base nos estudos da astronauta. Cristina fará parte das expedições 59, 60 e 61, uma das quais terá o astronauta italiano Luca Parmitano, da Agência Espacial Europeia (ESA) como protagonista. (ANSA)