Alunos da área rural de Porto Velho voltam às aulas após protesto por falta de ônibus escolar

Retorno ocorreu nesta segunda-feira (15) quando o serviço voltou a funcionar nos distritos da Ponta do Abunã. Semed informou que calendário de reposição está sendo montado.

151

Estudantes da zona rural dos distritos da Ponta do Abunã, em Porto Velho, voltaram às aulas nesta segunda-feira (15). A informação foi confirmada ao G1pelo atual secretário Municipal de Educação do estado (Semed), Márcio Félix. O retorno ocorreu graças a entrega de 23 ônibus escolares aos locais, que começaram a rodar logo pela manhã, após determinação do prefeito Hildon Chaves.

A entrega dos veículos aconteceu depois que os moradores de Vista Alegre, Extrema e Nova Califórnia organizaram um protesto na BR-364e bloquearam a via com troncos de árvores e pneus. A manifestação começou na madrugada do dia 9 de abril e se estendeu por quatro dias.

Na ocasião, os moradores pediam por transporte escolar para que as crianças da zona rural pudessem iniciar o ano letivo de 2019, que já está atrasado, além de melhorias nas estradas vicinais da região que estão em péssimas condições.

Moradores fecharam a BR-364 próximo a Extrema, distrito de Porto Velho, na última terça-feira (19).  — Foto: PRF/DivulgaçãoMoradores fecharam a BR-364 próximo a Extrema, distrito de Porto Velho, na última terça-feira (19).  — Foto: PRF/Divulgação

Moradores fecharam a BR-364 próximo a Extrema, distrito de Porto Velho, na última terça-feira (19). — Foto: PRF/Divulgação

Segundo Márcio Félix, os veículos já eram previstos por meio de um contrato emergencial feito com a empresa responsável pelo serviço e foram entregues no último domingo (14). “Nisso, começaram a rodar nesta segunda. São 23 ônibus para atender Vista Alegre, Extrema e Nova Califórnia”, explicou Félix.

Questionado sobre as estradas vicinais, Félix disse que equipes da Subsecretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric) já se deslocaram à região e analisam as condições das vias para futuros reparos.

Protesto envolvia retorno do transporte escolar na área rural e reparos nas estradas vicinais.  — Foto: Josimara Ribeiro/Arquivo pessoalProtesto envolvia retorno do transporte escolar na área rural e reparos nas estradas vicinais.  — Foto: Josimara Ribeiro/Arquivo pessoal

Protesto envolvia retorno do transporte escolar na área rural e reparos nas estradas vicinais. — Foto: Josimara Ribeiro/Arquivo pessoal

Calendário de reposição

Em janeiro deste ano, a Semed montou um calendário escolar e afirmou que o ano letivo começaria na zona rural no dia 1º de abril. A mudança seria para adaptar o período de aulas às condições meteorológicas e garantir o transporte aos estudantes. A medida foi aprovada pelos diretores das escolas rurais em reunião realizada nos dias 8 e 9 daquele mês.

Com a falta de transporte escolar e o bloqueio da BR-364, o município disse que está montando um novo calendário de reposição. O secretário informou que a previsão de ficar pronto é nesta semana e que deve ser divulgado até a próxima sexta-feira (19).

De acordo com Márcio, ainda há aulas de 2018 pendentes. “São algumas apenas, mas estamos organizando tudo. Até o fim da semana teremos um calendário”, prometeu Márcio.

Novo calendário de reposição das aulas ainda é montado pela Secretaria Municipal de Educação.  — Foto: Josimara Ribeiro/Arquivo pessoalNovo calendário de reposição das aulas ainda é montado pela Secretaria Municipal de Educação.  — Foto: Josimara Ribeiro/Arquivo pessoal

Novo calendário de reposição das aulas ainda é montado pela Secretaria Municipal de Educação. — Foto: Josimara Ribeiro/Arquivo pessoal

Ao G1, a vice-diretora da Escola Municipal 13 de Maio, em Extrema, Josimara Ribeiro, por exemplo, confirmou que os alunos já voltaram às aulas com o retorno do transporte escolar na região.

“Voltaram sim por volta das 7h. Isso em todas as escolas dos distritos. Temos ao todo três escolas: duas municipais e uma estadual. Esperamos que continue assim, pois essas crianças merecem”, disse.