Funcionários do transporte coletivo de Porto Velho entram em greve nesta sexta, 5

Greve seguirá por tempo indeterminado, segundo trabalhadores. Essa é a terceira paralisação em 2019.

62

Os funcionários do transporte coletivo de Porto Velho paralisaram as atividades nesta sexta-feira (5). A informação foi confirmada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo (Sitetuperon).

Segundo a categoria, a greve seguirá por tempo indeterminado devido péssimas condições de trabalho, atrasos dos salários e a demissão recente de diversos trabalhadores.

A última greve do transporte coletivo da capital terminou há dois meses. Na época os funcionários reclamavam de atraso de salários e corte de benefícios.

Interior de ônibus durante a terceira greve do transporte coletivo em Porto Velho em 2019.  — Foto: Pedro Bentes/G1Interior de ônibus durante a terceira greve do transporte coletivo em Porto Velho em 2019.  — Foto: Pedro Bentes/G1

Interior de ônibus durante a terceira greve do transporte coletivo em Porto Velho em 2019. — Foto: Pedro Bentes/G1

A Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), informou ao G1 que nesta sexta-feira (5) houve uma audiência de conciliação na tentativa de criar um acordo entre os funcionários do transporte coletivo e a empresa Rovema, responsável pelo transporte público de Porto Velho.

Nessa audiência foram discutidas questões referentes ao pagamento de rescisões. Como não houve acordo entre ambas as partes, os trabalhadores estacionaram os ônibus na avenida Sete de Setembro, onde começou o protesto.

Terceira greve do transporte coletivo em Porto Velho em 2019.  — Foto: Pedro Bentes/G1Terceira greve do transporte coletivo em Porto Velho em 2019.  — Foto: Pedro Bentes/G1

Terceira greve do transporte coletivo em Porto Velho em 2019. — Foto: Pedro Bentes/G1

O secretário da Semtran, Nilton Kisner, lembra que no dia 6 de maio a comissão de licitação receberá na prefeitura de Porto Velho as propostas dos interessados em assumir o transporte público da capital.

G1 tenta contato com o grupo Rovema.