Secretário-geral da ONU alerta para ‘onda de racismo’

37

GENEBRA, 25 FEV (ANSA) – O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, alertou nesta segunda-feira (25) para a existência de uma “onda de xenofobia, racismo e intolerância” no mundo.

O alarme foi lançado durante seu discurso de abertura no Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, evento que marcou a estreia da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, nos palcos internacionais.

“Precisamos fazer mais para defender os defensores e acabar com as represálias contra aqueles que compartilham histórias sobre direitos humanos”, disse Guterres, lembrando que mais de mil jornalistas e ativistas foram assassinados nos últimos três anos.

Segundo o secretário-geral, o mundo convive hoje com uma “redução do espaço cívico” e vê os direitos humanos “perdendo terreno”.

Damares – Em seu discurso no Conselho, Damares defendeu o direito à vida “desde a concepção” e garantiu que uma das prioridades de sua gestão é o combate ao feminicídio. “Vamos alcançar mulheres muitas vezes invisíveis, que integram povos e comunidades tradicionais, como as indígenas, quilombolas, pescadoras artesanais, as quebradeiras de coco, as ribeirinhas, as ciganas, entre outras”, disse.

A ministra ainda ressaltou que o governo Bolsonaro não agirá contra o “direito constitucional dos povos indígenas” na demarcação de terras, apesar de essa responsabilidade ter sido transferida para o Ministério da Agricultura. (ANSA)