Uso de canela pode ajudar em tratamento contra a calvície

Os calvos podem ter ganhado um grande aliado, caso a nova descoberta desses cientistas se traduza em um tratamento aprovado usando canela

140

A canela é usada geralmente em receitas gastronômicas, mas pode se tornar uma aliada importante no tratamento contra a calvície. Pesquisadores descobriram um componente da especiaria que fez os folículos capilares brotarem em laboratório. O estudo está publicado na revista Scientific Reports.

Agora, os pesquisadores da Universidade Nacional de Yokohama estão determinados a desenvolver um novo tratamento que pode reverter a queda de cabelo através do uso de compostos naturais, como a canela.

A ideia do desenvolvimento de um novo tratamento para queda capilar que use um composto natural como a canela e não seja invasivo é visto como uma prioridade por especialistas, já que atualmente, os tratamentos de restauração capilar são limitados ao transplante capilar ou o uso de medicamentos.

Uma descoberta anterior feita pelos cientistas do estudo é que o chamado “hormônio do amor”, a oxitocina, promovia o crescimento do cabelo ao regular positivamente os genes nas células da papila dérmica, essenciais na formação, crescimento e ciclo do cabelo.

Só que eles se depararam com um problema: a administração de oxitocina através da pele para ativar esta via de crescimento do cabelo lida com uma molécula relativamente grande, algo que impede a sua absorção.

É aí que entra o uso da canela, que, inclusive, já é conhecida por conseguir causar outros benefícios ao corpo. Entre eles, efeitos anti-envelhecimento da pele e uma melhora na sua elasticidade, algo possível através do seu efeito nos receptores de oxitocina.

O responsável por dar esses benefícios é o ácido cinâmico da canela chinesa, uma fração do peso molecular da oxitocina, presente muitas vezes na composição de cosméticos.

Efeitos do ácido cinâmico da canela nos genes relacionados ao crescimento do cabelo

  • Células da papila dérmica foram cultivadas com diferentes concentrações de ácido cinâmico; elas variavam de 0 a 2.000 µg/mL.
  • Observou-se que concentrações de 1.000 e 2.000 µg/mL causaram danos celulares e, acima de 500 µg/mL, inibiram consideravelmente a proliferação celular.
  • No entanto, em concentrações abaixo de 500 µg/mL, houve um aumento observável, dependente da dose, na expressão de oxitocina e genes associados ao crescimento capilar.
  • Foi desenvolvido um organoide de folículo capilar humano (“foliclóide capilar”) capaz de regenerar a haste capilar. Esse organoide permitiu aos pesquisadores expor simultaneamente diversas células ao tratamento com ácido cinâmico, fornecendo dados maiores e mais confiáveis.
  • Os cientistas testaram concentrações de 0, 50, 100 e 500 µg/mL nos foliclóides por até 10 dias.
  • Como resultado, houve um aumento considerável no comprimento do crescimento do cabelo até o oitavo dia nas concentrações de 100 e 500 µg/mL, sugerindo que a quantidade ideal está algum lugar nessa faixa.
  • Comparado ao efeito da ocitocina no crescimento do cabelo, que produziu um aumento de 1,3 vezes, o ácido cinâmico produziu um aumento de 1,25 vezes.

Até que um tratamento usando a canela seja cientificamente desenvolvido e aprovado, não há razão para tentar usá-la no momento para tentar tratar a calvície, porém, já existem indícios de que a especiaria pode ajudar.

Novas pesquisas se concentrarão em experimentos com ratos com queda de cabelo, que vão determinar a eficácia da administração de ácido cinâmico através da pele, a dosagem necessária e se existe algum efeito colateral.