Avanço da obra do Hospital Regional de Guajará-Mirim é acompanhado pela população da Pérola do Mamoré

95

Para impulsionar a melhoria da qualidade de vida e fortalecer a Saúde Pública em Rondônia, a obra do Hospital Regional de Guajará-Mirim avança com instalações e serviços de infraestrutura e, após concluída, irá atender a população da região da Pérola do Mamoré. A unidade irá proporcionar atendimento para casos de média e alta complexidade, nas áreas de Clínica Médica, Cirurgia Geral, Ortopedia, Pediatria, Obstetrícia e Sala de Estabilização (SE).

O Hospital vai atender à população de Guajará-Mirim, Nova Mamoré, Ponta do Abunã, e estrangeiros, pois está localizado na fronteira entre Brasil e Bolívia. A professora Francisca Rosalina nasceu em Guajará-Mirim, e destacou o quanto fica feliz em ver o lugar que ama, onde formou a família e considera um porto seguro, evoluir na Saúde Pública.

‘‘Estamos ansiosos pelas melhorias na qualidade do atendimento à saúde, do qual precisei, muitas vezes, e ainda não temos uma estrutura para esse atendimento. Agradecemos ao Governo de Rondônia e nos sentimos honrados por ver os nossos impostos sendo investidos em um serviço de qualidade’’, afirmou a professora.

Em 2019, a professora Rosalina teve um tumor, passou mal, e teve que se deslocar até a Capital. ‘‘Me desloquei para Porto Velho para fazer a cirurgia, e essa situação é muito triste para nós. Por isso, ver a construção deste hospital, que irá nos atender aqui mais perto e de forma mais ágil, representa para nós uma vitória’’, salientou.

RELATOS

A aposentada Maria Lenita Ribeiro, 69 anos, também nasceu em Guajará-Mirim, e depois de tantas décadas, observou com alegria a construção do sonho de ter um hospital regional para atender à população. ‘‘Analiso todos os dias, a movimentação dos trabalhadores, e isso é muito importante, pois por diversas vezes, a nossa família teve que recorrer a Porto Velho para receber assistência em saúde’’, ressaltou.

Maria Ribeiro conta que tem pressão alta, que o marido é cadeirante, e que têm outros problemas de saúde, que os fazem buscar tratamento na Capital. O casal espera com alegria o momento de encontrar na própria cidade essa assistência, quando o Hospital Regional de Guajará-Mirim for concluído.

RETOMADA DA OBRA

De acordo com o Governo de Rondônia, concluir essa obra tornou-se prioridade. A equipe técnica da Sesau, então, debruçou-se sobre os levantamentos e todos os procedimentos necessários para a conclusão do Hospital. O secretário da Sesau, Jefferson Rocha destacou que, a unidade hospitalar será referência em urgência e emergência na região.

A conclusão da obra está sob a responsabilidade do Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (Unops), organismo vinculado à Organização das Nações Unidas (ONU), especializado em infraestrutura e gestão de projetos. O Unops tem um Acordo de Cooperação Técnica Internacional com a Secretaria de Estado da Saúde, para melhoria da infraestrutura hospitalar em Rondônia e o fortalecimento Institucional da Secretaria.