Montadoras vão investir R$ 41 bilhões no Brasil até 2032, diz governo

Somente este ano, duas montadoras já anunciaram planos de investimento, que totalizam R$ 16 bilhões para indústria brasileira

70

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) informou nesta sexta-feira (2) que o Brasil terá um total de R$ 41,4 bilhões em investimento da indústria automobilística até 2032.

Somente este ano, duas montadoras já anunciaram planos de investimento, que totalizam R$ 16 bilhões para a indústria brasileira.

Segundo a pasta, isso é reflexo da melhoria do ambiente econômico, estimulado pela aprovação da reforma tributária, redução da taxa de juros, estabilidade do câmbio e o lançamento do “Mover”, programa nacional de Mobilidade Verde e Inovação.

Nesta sexta, a Volkswagen anunciou um investimento adicional de R$ 9 bilhões no Brasil até 2028 para projetos inovadores, com foco em descarbonização, incluindo veículos híbridos, 100% elétricos e total flex. Somado ao aporte atual de R$ 7 bilhões para o período de 2022 a 2026, a montadora totaliza R$ 16 bilhões em investimento no país nesta década.

O anúncio foi realizado durante visita do presidente Lula, do ministro do MDIC e do vice-presidente, Geraldo Alckmin, à planta da Volkswagen em São Bernardo do Campo, em São Paulo.

No fim de janeiro, em reunião com o presidente Lula, o vice-presidente e ministro do MDIC, Geraldo Alckmin, e o ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, executivos da General Motors (GM) anunciaram a primeira fase do novo plano de investimento da empresa no Brasil, de R$ 7 bilhões, que serão aplicados entre 2024 e 2028.

Esse valor será direcionado para ações como melhorias na capacidade e nas condições de produção e desenvolvimento tecnológico. Novos investimentos poderão ser anunciados nas fases seguintes do plano.

Também anunciaram novos recursos no Brasil até 2032 as montadoras Great Wall (R$ 10 bilhões entre 2023 e 2032); Renault (R$ 5,1 bilhões de 2021 a 2027); CAOA (R$ 4,5 bilhões entre 2021 e 2028); BYD (R$ 3 bilhões de 2024 e 2030) e Nissan (R$ 2,8 bilhões de 2023 a 2025).