Maduro diz que EUA não devem se envolver em disputa com a Guiana

Declaração foi resposta a porta-voz do departamento de Estado americano sobre referendo de anexação

65

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse na noite de segunda-feira (04) que os Estados Unidos não devem interferir na tentativa de anexação de Essequibo, território que faz parte da Guiana, após um referendo no domingo.

“Estados Unidos, eu aconselho, longe daqui. Deixem que a Guiana e a Venezuela resolvam este assunto em paz”, disse o presidente venezuelano.

A declaração foi dada durante a live no Youtube “Con Maduro +” e foi uma resposta a um comentário feito pelo porta-voz do departamento de Estado, Matthew Miller. Na segunda-feira (04), Miller disse que o governo de Joe Biden apoia uma solução pacífica para a questão. Segundo o representante da diplomacia americana, isso não é algo “que pode ser resolvido por meio de um referendo”.

Maduro também questionou uma declaração do presidente da Guiana de que tropas dos EUA estariam na região para enfrentar forças venezuelanas, no caso de uma anexação. “O presidente da Guiana disse que tinha tropas dos Estados Unidos prontas para travar uma guerra contra a Venezuela. Ou seja, os Estados Unidos – mais uma vez – estão agindo como estão: fazem uma promessa à Guiana e incentivam a provocar a Venezuela”, disse Maduro durante a transmissão.

No último domingo (03), a Venezuela realizou um referendo para perguntar à população se Essequibo, da Guiana, deveria fazer parte do território venezuelano. A consulta terminou com a vitória do “sim” com 96% dos votos, elevando a tensão entre os dois países por causa de uma eventual tentativa da Venezuela de anexação forçada.