Do ‘crush’ ao crime: veja dicas para se proteger do ‘golpe do amor’ usado para sequestrar e roubar vítimas

Segundo o Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), crime é classificado como estelionato. Na quinta-feira (9), em São Paulo, um homem foi forçado a compartilhar as senhas das contas bancárias a criminosos após marcar um encontro com uma mulher que ele conheceu no Tinder.

141

Você já usou algum aplicativo de relacionamento para marcar um encontro com um “crush” – termo usado para descrever sentimentos por alguém – virtual? Se sim a resposta for sim, é melhor tomar cuidado. Plataformas digitais como Tinder, Bumble e Happn têm sido usadas por criminosos para atrair novas vítimas.

Na quinta-feira (9), na Zona Leste de São Paulo, um homem de 52 anos foi sequestrado e roubado ao se encontrar pela terceira vez com uma mulher que ele conheceu pela internet.

O homem foi abordado pelos criminosos enquanto aguardava a mulher na Cidade Tiradentes, dentro de um carro de aplicativo. Ele havia solicitado a corrida para buscá-la e, depois, ir a um shopping.

Em depoimento à Polícia Civil, a vítima disse que foi levada por três homens para uma rua escura, onde foi forçada a desbloquear o celular e informar as senhas dos aplicativos bancários e do cartão.

Esse tipo de crime não acontece de forma isolada. Em São Paulo, entre janeiro até março deste ano, a Divisão Antissequestro do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), unidade especializada em sequestro da Polícia Civil paulista, registrou 18 casos de “golpe do Tinder”.

Entre as ocorrências, 14 foram esclarecidas e resultaram na prisão de 56 suspeitos. Em 2022, foram 115 casos durante todo ano.

Diante desta onda de crimes de estelionatos, o g1 reuniu dicas sobre o que fazer durante o uso dos apps para evitar cair em armadilhas dos “golpistas do amor”.

As informações foram obtidas com o delegado da Divisão Antissequestro do Departamento de Operações Policiais Estratégicas e especialistas em segurança digital.

Essas “dicas de ouro” não garantem 100% a proteção, mas são os filtros básicos que podem evitar muita coisa ruim, segundo presidente da Associação Brasileira de Segurança Cibernética, Hiago Kin.

Dicas para ter uma experiência mais segura

❌ Não compartilhe informações pessoais com a outra pessoa: evite falar se mora sozinho, se tem carro, se a família é de outro estado, o endereço de trabalho ou em que dias você vai à academia.

🤥 Verifique se o perfil do crush é fake: criminosos muitas vezes acabam utilizando fotos que geralmente pertencem a outra pessoa; veja abaixo como fazer uma análise após o match:

🎭 Observe se há sinais que podem indicar manipulação da imagem: bordas ou sombras irregulares e resolução baixa são indícios de montagem ou retirada de fotos de outros perfis.

🔎 Pesquise pelo nome que aparece no perfil: utilize buscadores e outras redes sociais para ver quais informações aparecem sobre o crush e se a foto corresponde com as imagens que foram apresentadas pela pessoa.

🖼️ Cadastro sem foto ou com imagens disponíveis em bancos: isso aumenta a chance de ser um perfil enganoso.

🧐 Faça uma pesquisa reversa: é possível utilizar a busca de imagens do Google. Para isso, clique no botão de câmera. Arraste ou envie o arquivo de uma imagem que desejar pesquisar, por upload ou link, e o buscador exibirá resultados iguais ou semelhantes. Desse modo, será possível verificar se a foto é original ou tem outras versões distintas, além de saber quem mais já divulgou o conteúdo.

📱 Cuidado na elaboração do seu perfil: levando em consideração que os golpistas acabam explorando detalhes como sobrenome ou local de trabalho para manipular as vítimas ou cometer crimes, seguem algumas orientações:

  • Utilize o nome abreviado ou apelido;
  • Reduza as informações pessoais como “gosto de cachorros” ou “do RJ para o mundo”, pois são características particulares que podem atrair o golpista para o lado sentimental da vítima;
  • Evite colocar informações sobre profissão;
  • Não use fotos que mostram viagens internacionais e ao lado de carros de luxo.

💵 Nunca envie dinheiro ou compartilhe dados bancários: se alguém fizer algum pedido de dinheiro ou números de documentos pelo aplicativo de relacionamento, informe a plataforma de paquera.

📵 Evite convites para conversar em outros apps: prefira manter a conversa pelo aplicativo que iniciou a interação. Então, nada de cair no papo de que “não consigo entrar aqui toda hora” ou que “minha assinatura do app está prestes a expirar”.

⚠️️Proteja sua conta: escolha uma senha forte e sempre tome cuidado ao fazer login em um computador público ou compartilhado. O Tinder, por exemplo, não envia e-mail solicitando nome e senha. Se receber esse tipo de solicitação, denuncie imediatamente.

🔗 Cuidado para links enviados pelos usuários: é preciso ter atenção para não clicar em qualquer link suspeito. Denuncie se receber spam ou ofertas, incluindo links para sites comerciais ou tentativas de vender produtos ou serviços.

🤝🏻 Uso de confiança para aplicar golpe: evite falar para o crush sobre informações de amigos e familiares. O golpista pode continuar a conversa por semanas para conseguir dados para roubar sua identidade ou de conhecidos, que também podem ser futuras vítimas.

🤳🏻 Videochamada: a Polícia Civil e o Tinder recomendam fazer uma videochamada antes do encontro.

😶 Modo anônimo e dispositivo para bloquear: o Tinder disponibiliza para os usuários premium o “modo anônimo”, que permite ocultar totalmente o perfil. Os usuários também podem bloquear um perfil para evitar que ele apareça nas sugestões. A plataforma explica que é uma forma de evitar ver colegas de trabalho e ex-namorados (as).

📍 Escolha do lugar: marque o encontro durante o dia, evite encontros em uma residência, escadarias de shopping ou estacionamento de supermercados. Escolha um local público, movimentado e fora de uma região de risco. Avise colegas e familiares onde será o primeiro date e compartilhe a sua localização.

🚨 Combine uma ligação de emergência: peça para que pessoas de confiança liguem para saber como está a situação. Se ela não conseguir resposta poderá tomar providências ou até mesmo acionar socorro.

⏰ Mudanças de planos: se de última hora a pessoa mudar o ponto de encontro, a recomendação é cancelar.

🚘 Não aceite caronas: tenha o controle de como chegar e sair de seu encontro, para poder ir embora quando quiser. Se você estiver dirigindo, é recomendável ter um “plano B”, como um aplicativo de transporte ou um amigo para ajudar com uma carona.

Como denunciar

🤬 Se ficar desconfortável, vá embora: se você não sentir em segurança, peça ajuda nas plataformas ou ligue para autoridades policiais (190).